Política e Ação
Prefeito busca renegociação de dívidas com a Sanepar

O prefeito de Engenheiro Beltrão, Rogério Rigueti (PMDB) se reuniu com o presidente da Sanepar, Mounir Chaowiche para negociar dívidas do município acumuladas com a empresa. Segundo Rigueti, Engenheiro Beltrão deve para a Sanepar R$ 3,5 milhões. A prefeitura deixou de pagar as contas de água dos últimos 8 anos e, parte da dívida foi transformada em precatório, agravando ainda mais a situação. “Estamos pagando nossas contas em dia e negociado contas do passado”, falou o prefeito. Segundo ele, o município vem negociando também débitos com fornecedores. “Nossas propostas são de acordo com nossas limitações financeiras”, afirmou. Chaowiche firmou compromisso de buscar uma solução para o município.

TCE emite alerta de gasto para dois municípios da região

Vem aí alerta de gastos com pessoal para mais dois municípios da região. Desta vez, o Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) deu sinal vermelho para Altamira do Paraná e Campo Mourão. Segundo o TCE, estas prefeituras extrapolaram 95% do limite de gatos com pessoal e, por tanto, devem agora seguir determinações para reduzir este índice.

Sustentação

Para azar dos servidores públicos de Campo Mourão, que iniciam o calendário de luta da categoria nesta quarta-feira, com o alerta do Tribunal os argumentos do prefeito do município, Tauillo Tezelli (PPS), de que a prefeitura está impossibilitada de conceder o reajuste aos profissionais devido a extrapolação de gastos, ganham força. A data-base da categoria venceu no mês passado e até agora não houve proposta da prefeitura.  E este é apenas o início da queda de braço.

Adequação dos gatos

O alerta às prefeituras nessa situação é feito pelo Tribunal para que os gestores adequem seus gastos e despesas com pessoal não alcançando o limite de 54% da RCL. Nos municípios onde isso ocorre, a determinação é para a redução de pelo menos 20% dos gastos com comissionados e funções de confiança. Caso não seja suficiente para voltar ao limite, o município deverá exonerar os servidores não estáveis. Se mesmo assim persistir a extrapolação, servidores estáveis deverão ser exonerados. O detalhe é que em Campo Mourão o município alcançou o índice de 56%.

“Caixa preta” do Judiciário

O deputado federal Rubens Bueno (PPS), autor da Proposta de Emenda a Constituição que extingue o privilégio de juízes corruptos serem aposentados compulsoriamente com salário integral, avaliou ontem que com o aprofundamento das investigações e os detalhes revelados por delatores, a força-tarefa da operação Lava Jato terá condições de abrir a “caixa preta” do Judiciário brasileiro. O parlamentar lembrou que não “é de hoje que se comenta pelos bastidores do poder que muitas empresas e alguns poderosos do País conseguem sentenças favoráveis em troca do pagamento de favores pessoais, ou mesmo propina, para magistrados das cortes mais altas do Brasil. “Comentários sobre a venda de sentenças circulam há anos pelos corredores de Brasília. No entanto pouquíssimas vezes alguém teve coragem de apresentar provas ou mesmo denunciar publicamente um magistrado”, falou o deputado.

Dito e Escrito

“Temos trabalhado dia e noite para resolver todos os problemas do município.”

José Carlos Gomes (DEM), prefeito de Nova Cantu, ao comentar sobre a situação do município.