José Eugênio Maciel
30 anos, palavra dos leitores (final)

“Pelos 55 anos da coluna vertebral e do coração que pulsa sentimentos,

                               pelos30 anos da coluna mantida no jornal Tribuna do interior. Firme

                                   nas colunas, tinta na  tela e deixe que as palavras despejem vida

Osvaldoir Capeloto – poeta

 

            Assim como citado logo após o título de hoje, os dizeres do poeta Osvaldoir, dois outros poetas enviaram cumprimentos, o mourãoense João Lara e de Paranaguá Maria Elizângela Silvia.

            Professores, na condição de leitores e colegas de profissão enviaram mensagens, “É uma das primeiras que leio ao pegar o jornal”, escreveu Conceição. Outros educadores destacam a tradição da Coluna, Valdeir, Márcio, Jane, Silvana Valéria, Silvana, Izabela, Tânia, Paulo, Lumena, Elaine, Fabíola Erenice, Márcio, Gilberto, Lucilene, Eliane, Mereide (Ubiratã), Carlos (Londrina) e Maria Fontes (Maringá), e por fim o diretor do Colégio Estadual de Campo Mourão Valdair, “É o resultado de uma vida dedicada aos livros e as letras”.

            Das autoridades vieram cumprimentos dos prefeitos Tauillo e Edmilson Miliossi, de Campo Mourão e Barbosa Ferraz, do vice -prefeito de Campo Mourão Beto Voidelo,   dos vereadores mourãoenses Sidnei, Battilani e Edoel. O deputado Douglas usou da palavra na Assembleia no dia 10 passado, destacando estes 30 anos de Coluna, bem como o deputado federal Bueno, “O Maciel é um intelectual consciente do seu papel e ajuda a ampliar o conhecimento e o debate, levando à reflexão”. E da administração pública Widerski, Fabrícia e do Judiciário o juiz Edson Jacobucci.

            Do CENSE (Centro de Socioeducação) colegas de trabalho Luciano, Fernando, Bianca, Renan, Grasiela, Ana Cláudia, Noemia, Luciano Bento, Higor, Leandro, Cristiane Santos, Sérgio e Vera (de Londrina).

            Da família (todos os irmãos já citados na semana anterior) Hilda, Rodrigo, Rodolfo, Ricardo, Rafael. Cecilianne, José Mário, Waleska, Caio, Eninho, Rosana e Isadora.

            E dos leitores em geral, Cleberson, Roberto, Denir Daleffi, Adão Aparecido, Jairo Padilha, Ana Beatriz, Napoleão, Francisco e Betinho Pequito, Diego, Suimar, César Bronzel, Eleonora, Rose Bueno, Paulo Pilati, Rosna Pescador e Isadora Lenara, Paulo Roberto (Apucarana) Jair Frates (Arapongas) e Gilberto Bazzi (Araruna).

            Grato a todos, sempre.           

Fases de Fazer Frases (I)

            Maior precaução que tomar cuidado é engoli-lo.

Fases de Fazer Frases (II)

            Nem todo rude é rudimentar: elementar.

Fases de Fazer Frases (III)

            Encarregado do gado dá o recado, todo gado foi carregado sem escorregado.

Olhos, Vistos do Cotidiano

            No jornal da RPC desta semana duas notícias televisivas chamaram a atenção pelo tempo e enfoque delas, em comparação. Uma noticiava um cão que havia sido furtado e foi encontrado, devolvido ao dono. Entrevistaram o dono, o delegado que cuida do caso, ainda teve um rápido comentário da apresentadora do canal. De Maringá para Paranavaí, uma pessoa que preferiu não ser identificava filmou a estupidez do segurança de um centro de compras contra um andarilho. Ele foi entrevistado, quem filmou a cena também, menos o segurança. Essa matéria teve tempo menor e tratamento simples.

            Intencional ou não, provavelmente atenta a repercussão que as matérias teriam, deu-se bem mais importância ao cão, ao dono do cão do que ao andarilho, mais vira-latas, de menor valor humano, social em relação a outro animal.

Reminiscências em Preto e Branco (I)

            Esta Coluna é do tempo em que Tribuna era literalmente impressa em preto e branco. O colorido dela só chegou nos anos 1990.

Reminiscências em Preto e Branco (II)

            A palavra, hoje em desuso, foi muito falada pela minha saudosa mãe Elza, “ao usar o calçado, ele vai lacear”, lacear no sentido de afrouxar, amaciar. Certa vez o meu saudoso pai Eloy complementou, ao informar outro significado de lacear: fazer; amarrar ou apertar laços”.

Reminiscências em Preto e Branco (III)

            Com o tempo se aprende até o que o tempo não ensina.      

__

Por José Eugênio Maciel | [email protected]