José Eugênio Maciel
Vaidade só para aparecer

“Deve-se deixar a vaidade aos que não têm outra coisa para exigir”.

Honoré de Balzac

            Resolvi contar, 28 fotos! Imagens de um único dia. A certeza que amanhã, literalmente, tem mais e mais. É assim. As 28 não são diferentes umas das outras, tem uma em que ela está piscando, a outra já piscou e por aí vai.

            Se de fato é comum nos jovens, adolescentes, o caso citado se refere a uma pessoa que já passou tal fase da vida, ao menos cronologicamente. Ela espera avidamente comentários, e tão vaidosa que não chega a responder, ou faz como se estivesse num pedestal.

            Quando é elevado o sentido da vaidade, o extremo apego narcisista se caracteriza pelo  cuidado exagerado com a aparência.

            O vaidoso precisa ostentar orgulhosamente o que ele deseja que apareça, notável. Bom lembrar, imagem pode não corresponder ao conteúdo. 

            Ao deixar de lado o exemplo visual e não só das redes sociais, tem uma vaidade sutil, porém não é difícil perceber. É a de títulos. Pessoas que querem fazer parte de grupos sociais, de entidades classistas, agremiações apenas para enriquecer o currículo da vaidade.

            O problema não é apenas a aspiração. É quando a vaidade exclusivamente a de  colecionar títulos e exibi-los. Tão logo ingressam nessas organizações, não mais aparecem. Não dão satisfação. Porém, no currículo delas estão tão lá numerosas referências da pessoa a fazer parte disso e mais aquilo.

            Ego inflado chega a um ponto que determinada o aumento constantemente desejado pelo vaidoso: aparecer!. Mais do que ser visto, quer se destacar, se possível e sempre mais que os outros.

            Uma parte deles é de obstinados, caso não sejam observados, não se desanimam, aumentam as estratégias para aparecer. Se usassem um estandarte como símbolo, o pavão serviria, ainda que não a altura deles. 

            Alegria da folia carnavalesca está em se divertir, extravasar. Para o vaidoso é pouco, ele precisar aparecer em primeiro lugar, abrindo, fechando alas. O dono e mestre da escola de samba.

            A vaidade mais invejada é a do vaidoso dependente dela.      

Fases de Fazer Frases (I)

            Quem esquece de tomar remédio para a memória é porque ele não é bom. Nem ela.

Fases de Fazer Frases (II)

            Mãe sempre tem razão, a razão é o nome dela.        

Fases de Fazer Frases (III)

            O sábio não ignora a falta de conhecimento. Ele aprende com ela.

Fases de Fazer Frases (IV)

            O calado tem bom gosto por não abrir a boca.

Olhos, Vistos do Cotidiano

            Muitas imagens. Imagens das câmaras comprovaram o furto e identificaram o homem de 32 anos, segundo publicou esta Tribuna. Ele carregava a imagem de Nossa Senhora Aparecida. Outra imagem com ele, estampada na camiseta, também furtada. Local da apreensão, uma rua do Jardim Santa Nilce. Para se livrar das grades o homem poderá rezar e pedir ajuda divina. Sem poder adorar as imagens, que foram devolvidas.

Caixa Pós-tal

            “Parabéns pela sua Coluna. Não deixo de ler”, escreve o mourãoense Antônio R. Silva.  

Reminiscências em Preto e Branco (I)

            Não levará muito tempo e dentadura fará parte do passado. O implante dentário, moderno, ágil e seguro, também vai ficando acessível economicamente. Aquele imagem – que não deixa de ser mórbida – de um copo d'água, em cima do criado mudo, recipiente onde repousava a dentadura enquanto o dono dormia. Sempre sorrindo.  

Reminiscências em Preto e Branco (II)

            Tempos de roça no Brasil então em sua maioria rural, banheiro inexistia, quando muito uma “casinha” fora da casa. E quando apertava, debaixo da cama tinha o chamado penico, também conhecido de urinol. Pois bem, se no caso do segundo nome, embora como tal, não servia só pra fazê xixi.   

__

Por José Eugênio Maciel | [email protected]