Sociedade e Desenvolvimento
Aceleração de Empresas

Um conceito relativamente novo no mundo do empreendedorismo no Brasil, especialmente no campo de empresas de tecnologia, é o de Aceleração de Empresas.

Mas porque empresas podem ou devem ser aceleradas? O que é acelerar uma empresa? Que benefícios isso traz?

As primeiras experiências de aceleração de empresas surgiram no EUA (sempre eles) em 2005, ligadas às startups – empresas de tecnologia.

O modelo utilizado se baseava em investir cedo nos projetos, aportando um pequeno capital e oferecendo um programa para ajudar as empresas a chegarem do ponto A ao B de maneira mais rápida. Mentores e investidores fechavam o resto da equação, apoiando os empreendedores com a sua experiência e capital.

Em 2007 o movimento se expandiu para a Europa e em 2011 chegou ao Brasil. E então surgiram as Aceleradoras, empresas especializadas em oferecer esse suporte às empresas nascentes, de forma a buscar o desenvolvimento e rápido crescimento de startups, auxiliando-as a obter novas rodadas de investimento ou a atingir seu ponto de equilíbrio - quando elas conseguem pagar suas próprias contas com as receitas do negócio.

Um programa de aceleração, no entanto, não consiste somente em aportar capital. Aliás, é cada vez mais evidente que o capital não financeiro, o chamado capital inteligente, tem efeito tão ou mais positivo na consolidação da empresa.

Além do recurso financeiro, um programa de aceleração deve conter:

Acesso ao Mercado - uma rede de relacionamentos com grandes empresas, por exemplo. Permite-se, dessa forma, que as empresas aceleradas tenham acesso a oportunidades de negócios em seus mercados.

Acesso a Investidores - A apresentação a investidores pode ocorrer tanto de forma coletiva, quanto de forma individual, durante ou após o programa de aceleração, de forma a permitir que startups com diferentes necessidades de capital e em diferentes setores consigam captar.

Mentoria - De forma a complementar os conhecimentos e a experiência do empreendedor, o programa pode oferecer um quadro de mentores diversificado, contando com outros empreendedores mais experientes, empresários e especialistas em temas específicos. O mentor é um guia, um conselheiro, alguém com vasta experiência profissional no campo de trabalho da pessoa que está sendo ajudada. A mentoria é talvez a ferramenta de desenvolvimento profissional mais importante, e consiste em uma pessoa experiente ajuda outros menos experientes.

Workshops - Todos os empreendedores das empresas aceleradas recebem inúmeros treinamentos e capacitações, geralmente abrangendo áreas como inovação, desenvolvimento ágil, marketing, aspectos jurídicos, finanças, negociação, oratória, captação de investimento, entre outros.

Benefícios com Parceiros – algumas aceleradoras contam com uma série de parceiros que oferecem serviços e descontos para as empresas aceleradas, o que permite a elas economizar recursos.

A Secretaria de Desenvolvimento Econômico tem um projeto para a criação de um Centro de Inovação, que contará com espaço de coworking, espaços para incubação e um programa de Aceleração. Já existem alguns projetos de aceleradoras públicas com bons resultados, e a intenção é lançar a novidade em Campo Mourão também.

Por outro lado, fizemos em 2017 uma adaptação do conceito de Aceleração de Empresas para atender aos Micro Empreendedores Individuais – MEI´s atendidos pela Casa do Empreendedor. Com resultados bastantes satisfatórios, a versão 2018 do programa está sendo lançada nos próximos dias. O objetivo do VOA MEI – Programa de Aceleração para Empreendedores Individuais – é oferecer a oportunidade de ter acesso a informação, mentoria, crédito e capacitação para transformar seu negócio e buscar um patamar mais alto de empreendimento.

___

Carlos Alberto Facco - Secretário de Desenvolvimento Econômico de Campo Mourão | [email protected]