Esportes

Alaphilippe vence contrarrelógio e aumenta vantagem na ponta da Volta da França

O francês Julian Alaphilippe, da equipe Deceuninck-Quick Step, começou esta sexta-feira com sua camisa amarela, de líder na classificação geral, ameaçada na Volta da França, a mais tradicional competição do ciclismo de estrada no mundo. Na prova do contrarrelógio de 27,2km na cidade de Pau, pela 13.ª etapa, mostrou garra e vontade para vencer com o tempo cravado de 35 minutos e, assim, abrir vantagem na liderança.

"É incrível! Sabia que poderia fazer um bom tempo, que iria dar tudo, mas não que venceria à frente de grandes corredores como Geraint Thomas. Empurrei os meus limites e nem ouvi as informações do meu diretor, estava louco com o público. Dei tudo o que tinha. A minha equipe estava no carro muito emocionada", disse Alaphilippe, logo após a vitória na única prova de contrarrelógio desta edição da Volta da França.

O britânico Geraint Thomas, da equipe Ineos, que defende o título de 2018, era a grande ameaça de Alaphilippe. Mas completou o percurso em 35min14s e agora está 1 minuto e 26 segundos atrás do francês. "Não esperava isso de Julian Alaphilippus. Ele está incrivelmente bem e é definitivamente um dos favoritos. Claro que pode manter a camisa amarela até o fim. A maneira como ele corre, se continuar assim vai ganhar. Mas ainda há muita estrada e muitas dificuldades", afirmou.

O belga Thomas de Gendt, da equipe Lotto-Soudal, e o colombiano Rigoberto Urán, da Education First, dividiram o terceiro lugar da etapa com o tempo de 35min36s.

Atrás de Alaphilippe e Thomas na classificação geral estão agora Steven Kruijswik (Team Jumbo) a 2min12s, Enric Mas (Quick Step) a 2min44s, e Egan Bernal (Ineos) a 2min52s. Nairo Quintana (Movistar) é apenas nono, a quase quatro minutos.

Neste sábado, pela 14.ª etapa, Alaphilippe terá um novo duro teste, em um curto percurso de 117,5km, mas com a chegada prevista no mítico Tourmalet, nos Pirineus, a 2.115 metros de altitude. Serão 17km somente de subida.