Campo Mourão

Alunos do Colégio Integrado desenvolvem projetos de Iniciação Científica

Projetos de pesquisa são desenvolvidos pelos alunos durante todo o ano. (Foto: Jonathan Santos)

A pesquisa é fundamental para testar teorias e ajudar a garantir mais conhecimento aos estudantes durante a graduação. Porém, muitos desses estudantes só iniciam esse processo de pesquisa quando chegam à faculdade e sentem muita dificuldade. Pensando nisso, o Colégio Integrado oferece aos alunos, desde 2014, projetos de Iniciação Científica, que são desenvolvidos na disciplina de Geografia durante todo o ano, e servem como avaliação parcial da nota trimestral dos estudantes.

Neste ano, são diversos projetos que estão em processo de pesquisa. Entre eles estão a análise de mudança das praças São José e Getúlio Vargas por meios de registros fotográficos, a verificação do uso de sementes transgênicas com os produtores rurais de Luiziana, além da análise granulométricas de solos (estudo da distribuição das dimensões dos grãos de um solo) em diferentes propriedades de Mamborê e um levantamento pluviométrico em diferentes áreas da cidade de Campo Mourão.

Para o professor de Geografia do Colégio Integrado e orientador dos projetos, João Cláudio Alcantara dos Santos, o principal objetivo dos projetos é mostrar aos alunos a importância da pesquisa no ambiente acadêmico. "Quanto mais o aluno aprende, desde cedo, a importância da pesquisa, fica mais fácil para quando ele chegar até a graduação, onde a pesquisa é fundamental. Eles estão desenvolvendo diversos projetos interessantes, que garantem uma interação e diversos benefícios para a comunidade", afirma Santos.

Para os alunos que estão participando, o projeto possui muitos benefícios, inclusive para a futura faculdade. "Eu quero fazer Agronomia, então este projeto que estamos desenvolvendo, que vai mostrar as diferenças entre as sementes transgênicas e convencionais, serviu como base para o que eu quero fazer na faculdade", afirma a aluna Waila Beatriz Ceolim, 16. Para a aluna Aisha Tiburcio, 16, os projetos podem ajudar os produtores locais. "O nosso projeto vai realizar uma análise granulométricas para ver como o solo influencia na produtividade de cada local. Estou achando muito interessante aprender tanta coisa da minha cidade", afirma Aisha.

Outro projeto de importância para a comunidade é a análise de mudança das praças São José e Getúlio Vargas por meios de registros fotográficos. Os alunos do grupo estão indo até o museu "Estamos coletando dados, informações e fotos sobre os locais, para observarmos o desenvolvimento de Campo Mourão, a evolução, desde que começou a colonização. Muitas pessoas da nossa sala mesmo têm parentes que moram aqui e não conhecem essa evolução", diz a aluna Julia Ferreira Royer, 16.