Policial

Amiga encomendou morte de mulher em CM por dívidas com tráfico, diz polícia

Investigações apontam que vítima devia pouco mais de R$ 1 mil para a mandante.
["Revela\u00e7\u00e3o foi feita nesta manh\u00e3, durante entrevista coletiva \u00e0 imprensa concedida pelo delegado adjunto da 16\u00aa SDP, Jo\u00e3o Paulo Menuzo Lauandos"] (Foto: Walter Pereira)

O delegado adjunto da 16ª Subdivisão Policial (SDP) de Campo Mourão, João Paulo Menuzo Lauandos, revelou em entrevista coletiva à imprensa na manhã desta quinta-feira (10), que o assassinato de Elizangela Ramalho, de 38 anos, na madrugada de ontem, teria sido encomendado pela própria amiga da vítima, proprietária de um salão de beleza localizado no Lar Paraná. A motivação do crime teria sido uma dívida de tráfico de drogas de pouco mais de R$ 1 mil de Elizangela com a suposta mandante.

A Polícia Civil em conjunto com a PM prendeu dois jovens de 22 e 27 anos, acusados de terem executado o crime. A identidade dos suspeitos não foi divulgada pela polícia até a conclusão do inquérito. Um deles participou de um roubo a um posto de combustíveis na terça-feira, no Lar Paraná. A arma utilizada no assalto, um revólver calibre 38 foi a mesma usada no assassinato, além de uma pistola 380 mm. “O mesmo indivíduo que assaltou o posto com outro suspeito participou do homicídio contra a vítima de 38 anos, inclusive com a mesma arma”, ressaltou o delegado.

Ele reafirmou que a morte de Elizangela foi motivada por dívidas com tráfico de drogas. “De acordo com as investigações, muito provavelmente ela era uma usuária que devia e foi executada por isso. As imagens mostram claramente que foi uma execução. Ela caminhava pela rua de madruga quando dois indivíduos friamente a mataram com tiros à queima roupa. Foi um crime chocante. Felizmente a polícia Civil com auxilio da Polícia Militar pôde dar uma resposta rápida à população elucidando o crime”, frisou Lauandos.

O policial informou que a suspeita de ser a mandante do crime chegou a ser ouvida pela polícia ontem, mas como não havia elementos contra ela, acabou sendo liberada. “Na continuidade das investigações começou a se confirmar a tese de ela ser a mandante”, argumentou, ao afirmar que a polícia continua com as investigações para confirmar a tese sobre a mandante e pedir sua prisão.

A Polícia Civil encontrou fotos das duas juntas na rede social de Elizangela, há informações também de que vítima frequentava o salão de beleza da suspeita. “Ela alegou que a dívida era por conta do salão de beleza, mas tudo indica que era por conta das drogas”, afirmou Lauandos. Foi apreendido também o veículo Ford/Fiesta da suposta mandante após análise de imagens de câmeras de segurança. “Temos duas filmagens do homicídio, uma do momento da execução, em que os bandidos dispararam covardemente contra a vítima e em outro momento aparece um carro com as mesmas características do veiculo dessa mulher”, disse o delegado.

Ainda segundo ele, os dois rapazes presos têm várias passagens pela polícia e são considerados de alta periculosidade. “Todos os participantes sofrerão as consequências tendo em vista a gravidade deste fato”, acrescentou Lauandos.