Região

Campanha contra sarampo espera vacinar 71,1 mil pessoas na Comcam

(Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Foi aberta nessa segunda-feira (7), a campanha nacional de vacinação contra sarampo. De acordo com a 11ª Regional de Saúde de Campo Mourão, 71.125 mil pessoas deverão vacinar na região contra a doença, sendo 2.325 crianças de 6 meses a menores de 12 meses, 17.146 crianças de 1 ano a menores de 5 anos, e 51.654 pessoas na faixa etária de 20 a 29 anos.

Somente em Campo Mourão, são esperadas 20.548 pessoas para a vacinação, sendo 15.132 de 20 a 29 anos; 4.723 de 1 ano a menores de 5 anos; e 693 de 6 meses a menores de 12 meses. Veja abaixo a quantidade por municípios. A enfermeira chefe de Seção de Vigilância Epidemiológica da 11ª Regional de Saúde de Campo Mourão, Evandra Cristina Pereira, informou que este ano a campanha terá duas etapas.

Para crianças de seis meses até menores de 5 anos, a vacinação iniciou ontem e segue até 25 de outubro, com o Dia D no dia 19. Já para o grupo com faixa etária de 20 a 29 anos e que não estão com a caderneta de imunização em dia, a vacinação será de 18 a 30 de novembro, com o Dia D no dia 30.

Evandra chama a atenção para que os pais levem seus filhos às unidades de saúde para vacinar. Ela lembrou que vários casos de sarampo (59 no total) já foram confirmados no Paraná e que a doença pode levar à morte. “A vacina é um direito da criança, pais ou responsáveis devem checar a carteira de vacinação, se estiver incompleta, leve a criança para tomar a segunda dose. Se a criança não tiver tomado nenhuma, ela deve tomar a primeira dose e, na sequência, a segunda”, falou. “Os adultos também devem ficar atentos à vacinação”, ressaltou.

A enfermeira explicou que crianças na faixa de 6 meses até menores de um ano recebem a chamada dose zero. Na região da Comcam, este público chega a 4.649 crianças. A primeira dose da vacina, que vale para a carteira de nacional de imunização, deve ser recebida aos 12 meses (1 ano) e, a segunda dose, aos 15 meses. “Esta é a recomendação para as crianças, que são o foco nesta fase da Campanha Nacional de vacinação contra o sarampo”, ressaltou.

O objetivo da campanha é interromper a circulação do vírus do sarampo e proteger os grupos mais acometidos pela doença no páis. O sarampo é uma doença infecciosa, transmitida por vírus e que pode ser contraída por pessoas de qualquer idade. As complicações decorrentes do sarampo são mais graves em crianças menores de cinco anos e podem causar meningite, encefalite, pneumonia, entre outras. O vírus é transmitido pela respiração, fala, tosse e espirro. As micropartículas virais ficam suspensas no ar, por isso o alto poder de contágio da doença.

Os sintomas mais comuns são: febre alta, tosse, coriza, conjuntivite, exantema (manchas avermelhadas na pele que aparecem primeiro no rosto e atrás da orelha e depois se espalham pelo corpo), outros sintomas como cefaléia, indisposição e diarréia também podem ocorrer. Como não existe tratamento específico para o sarampo, é importante ficar atento com o aparecimento dos sintomas. Os doentes ficam em isolamento domiciliar ou hospitalar por um período de sete dias a partir do aparecimento das manchas vermelhas no corpo.

A meta do Ministério da Saúde é vacinar 2,6 milhões de crianças na faixa prioritária e 13,6 milhões adultos. Para isso, a pasta garantiu a maior compra de vacinas contra o sarampo dos últimos 10 anos. Ao todo, 60,2 milhões de doses da tríplice viral foram adquiridas para garantir o combate à doença nos municípios.

Dados

No levantamento divulgado até o dia 28 de agosto, o Brasil registrou 5.404 casos confirmados de sarampo e seis mortes, sendo quatro delas de pacientes menores de 1 ano. Dos casos confirmados nesse período, 97% (5.228) estão concentrados em 173 municípios do estado de São Paulo, principalmente na região metropolitana. Os outros 176 casos foram registrados em 18 estados: Rio de Janeiro, Minas Gerais, Maranhão, Paraná, Piauí, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Ceará, Mato Grosso do Sul, Paraíba, Pernambuco, Pará Rio Grande do Norte, Espírito Santo, Goiás, Bahia, Sergipe e Distrito Federal.

Quantidade de pessoas a serem vacinadas por município