Região

Casos de dengue aumentam 10% em uma semana na região

Mais um município entrou para lista de epidemia da doença.
O vírus é transmitido pelo Aedes aegypti, transmissor também da febre amarela, chikungunya, e zika vírus

Da última semana para esta, os casos de dengue aumentaram de 571 para 629 na região de Campo Mourão, o equivalente a cerca de 10%. As informações são do novo boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesa). Foram 58 novos casos da doença em uma semana. As notificações saltaram de 2.627 para 2.727.

acordo com a Sesa, dos 629 casos, 618 são autóctones, transmitidos no próprio município e 11 importados. Dos 25 municípios da Comcam 21 estão com casos de dengue. O vírus é transmitido pelo Aedes aegypti, transmissor também da febre amarela, chikungunya, e zika vírus. A região está em alerta contra a doença.

Quatro cidades da região vivem epidemia de dengue: Peabiru, com 94 casos, Quinta do Sol (31); Moreira Sales (177) e agora Rancho Alegre D´Oeste (12). A epidemia é confirmada depois que a cidade aponta, proporcionalmente, mais de 300 casos por 100 mil habitantes.

Os municípios da Comcam com casos confirmados são Araruna (4), mas a secretaria de saúde do município divulga 13; Barbosa Ferraz (1); Boa Esperança (4); Campina da Lagoa (14); Campo Mourão (201); Corumbataí do Sul (2); Engenheiro Beltrão (19); Farol (2); Fênix (6); Goioerê (37); Iretama (4), Janiópolis (1); Mamborê (4); Moreira Sales (177); Nova Cantu (1); Peabiru (94); Quarto Centenário (1); Quinta do Sol (31); Rancho Alegre d’Oeste (12); Terra Boa (46); e Ubiratã (28).

O boletim da dengue confirma 15.396 casos da doença no Paraná desde junho de 2018. São 1.892 casos a mais que na semana anterior. Os casos autóctones, adquiridos no município de residência dos infectados, são a maioria: 14.961. Outros 435 foram adquiridos em outros estados e “importados” para o Paraná. Setenta municípios estão em epidemia e outros 59 estão em alerta para a dengue.

O Paraná registra 17 óbitos confirmados causados pela doença desde junho de 2018 até agora. São quase 76 mil notificações neste período nas 22 Regionais de saúde do Estado. A 11ª Regional de Saúde de Campo Mourão alerta que a situação é grave e que com os índices elevados de infestação é necessário fazer uma busca minuciosa em todos os terrenos e quintais.

Além de eliminar os criadouros que se formam em recipientes mais visíveis com água parada, como pratos de vasos de plantas, ralos descobertos e pneus velhos, é preciso ter atenção com locais menos visíveis como telhados, antenas de TV, calhas, troncos ocos de árvores e caixas de água.

A infecção por dengue pode ser assintomática (sem sintomas), leve ou grave. Neste último caso pode levar a óbito. Os sintomas são febre alta acompanhada de dor de cabeça, dores no corpo e articulações, náuseas e vômitos. Em alguns casos também apresenta manchas vermelhas na pele.

A forma grave da doença inclui dor abdominal intensa e contínua, vômitos persistentes e sangramento de mucosas. Ao apresentar os sintomas, é importante procurar um serviço de saúde para diagnóstico e tratamento adequados, todos oferecidos de forma integral e gratuita por meio do Sistema Único de Saúde (SUS).