Região

Casos de gripe H1N1 na região mais que triplicam em relação a 2017

Os casos de gripe H1N1 na Comunidade dos Municípios da Região de Campo Mourão (Comcam) preocupam. De acordo com o último boletim epidemiológico divulgado nessa quarta-feira (8) pela secretaria Estadual de Saúde do Paraná, a região registrou mais um caso da última semana para cá, aumentando para 9 no total.

Em relação ao mesmo período de 2017, os casos confirmados da doença mais que triplicaram na região este ano. Até agosto do ano passado, a Comcam tinha registrado apenas 2 casos de gripe H1N1, sendo 1 em Campo Mourão e 1 em Quinta do Sol.

Até o momento, uma morte causada pela doença foi registrada na região no município de Goioerê, onde um homem morreu por complicações do vírus. Foram registrados também na Comcam do início do ano até agora quatro casos de influenza A(H3) sazonal.

Os casos de H1N1 são em Campo Mourão (4); Goioerê (2); Janiópolis (1); Juranda (1); e Roncador (1). Já os diagnósticos confirmados de influenza A(H3) sazonal são de Araruna (1); e Campo Mourão (3). Com os dias mais frios, a orientação da 11º Regional da Saúde é para que a população redobre os cuidados de prevenção contra a gripe.

Entre as precauções é necessário a higienização das mãos, lavando constantemente com água e sabão ou álcool em gel; evitar ambientes aglomerados e sempre deixar janelas abertas para a entrada do ar no local. É importante também sempre cobrir a boca e o nariz ao tossir ou espirrar. Usar o antebraço ou lencinho para cobrir a boca, e nunca a palma das mãos. Alimentar-se de forma saudável e beber bastante líquido é essencial para fortalecer o organismo contra o vírus.

A campanha de vacinação contra gripe, encerrada no final de junho ficou abaixo da meta na região para as crianças de seis meses a menores de 5 anos e das gestantes. De acordo com a Regional da Saúde de Campo Mourão, no geral a vacinação alcançou 94,05%. A meta era imunizar 78.197 mil pessoas, mas foram vacinadas 73.547. No grupo das crianças e das gestantes, o índice alcançado de vacinação foi de 85,58% e 79,51% respectivamente enquanto no ano passado, no fechamento da campanha, atingiu mais de 90% em todos os grupos prioritários.

Pertencem aos grupos de risco crianças com idade entre seis meses e cinco anos incompletos; gestantes (em qualquer período gestacional); puérperas (mulheres que tiveram parto recente, em até 45 dias); trabalhadores da área da saúde; professores (rede pública e particular); idosos (mais de 60 anos de idade); populações indígenas e doentes crônicos.

Na região, foram vacinadas 16.416 crianças; 5.608 trabalhadores da saúde; 2.663 gestantes; 563 puérperas; 29 indígenas; 42.546 idosos; e 5.738 professores. A vacinação contra influenza é uma das medidas mais efetivas para a prevenção do vírus da gripe e de suas complicações. A vacina é trivalente, ou seja, protege contra 3 tipos de vírus: dois de influenza “A” e um de influenza “B”.

Em todo o Paraná, conforme o boletim divulgado pela Sesa, o número de mortes pelo vírus aumentou para 87. Ao todo, são 541 casos confirmados da doença.