Região

Colheita do milho avança com boa produtividade na região

Com os últimos dias ensolarados e tempo firme, a colheita do milho safrinha segue avançando na região de Campo Mourão com boa produtividade. Até o momento, de acordo com o Departamento de Economia Rural (Deral), núcleo de Campo Mourão, 25% da área foram retiradas de campo pelos produtores.

Conforme o engenheiro agrônomo, Edilson de Souza e Silva, do Deral de Campo Mourão, algumas áreas estão apresentando uma produtividade de até 350 sacas por alqueire, o equivalente a 8,6 mil quilos por hectare. No entanto, outras apresentam queda de produção. “Está realmente surpreendendo”, disse ele.

A área com milho safrinha na Comcam - safra 2018/2019- é de 335,5 mil hectares, o volume de produção previsto é de 1,9 milhão de toneladas. A área plantada é 3% maior que em 2018, quando os produtores semearam 326 mil hectares, a produção naquele ano foi de 1,7 milhão.

O aumento da área está relacionado a questões de mercado, preços atuais, condições climáticas, entre outros fatores consideráveis para determinar da safra. O crescimento está atrelado também à falta de mais opções de culturas de inverno. Na região, o milho disputa espaço com o trigo e aveia. A aveia geralmente é utilizada apenas para cobertura da terra ou sementes, já o trigo, não se torna atrativo aos produtores devido às dificuldades de comercialização.

“Há anos o trigo tem um histórico ruim de comercialização fazendo com que muitos produtores optem pelo milho mesmo não tendo preços tão atrativos”, explicou Silva. No Paraná a expectativa de produção de milho é de 12,7 milhões de toneladas, um aumento de quase 40% em relação a safra passada, quando o volume colhido atingiu 9,1 milhões de toneladas.

Na região a colheita está mais avançada nos municípios de Boa Esperança, Campina da Lagoa, Juranda, Rancho Alegre d’Oeste e Ubiratã. Há algumas áreas sendo colhidas também na região de Peabiru, Engenheiro, Fênix e Quinta do Sol. O grande volume de chuvas dos últimos dias não prejudicou a safra, conforme o Deral.

o tempo segue firme na Comcam, a colheita tende a se intensificar a partir desta semana. Apesar da boa produtividade na região, alguns produtores rurais ouvidos pela Tribuna relatam queda de até 23% na produção devido à estiagem no início do ciclo de desenvolvimento da cultura. Eles esperavam colher em média 320 sacas por alqueire, mas colheram 260.

O preço do grão segue razoável no mercado, a R$ 28,00 a saca de 60 quilos. A preocupação é que com o avanço da colheita está ocorrendo uma depreciação do preço. Na semana passada, por exemplo, a saca estava cotada a R$ 30,00. “Como aumenta a oferta, a tendência é que o valor caia, mas o preço ainda segue razoável”, falou Silva.

De acordo com a Seab, 85% da cultura do milho estão em estágio de maturação e 15% em frutificação. Estas últimas áreas estão em boas condições de desenvolvimento. Não há mais risco de perdas por geadas na região caso ocorra o fenômeno durante o inverno, que inicia no próximo dia 21. “Ate lá todas as áreas que não estiverem colhidas estarão em processo avançado de maturação, não correndo risco de serem atingidas”, sustentou Silva.