Esportes

Com gol de Dourado na estreia, Flamengo vence Botafogo e vai à final

O clássico carioca recebeu pouco menos de sete mil torcedores em Volta Redonda.
O Flamengo sobrou em campo e agora fará a decisão do primeiro turno contra o Boavista, que eliminou o Bangu ao empatar por 2 a 2 (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)

O Flamengo confirmou vaga na final da Taça Guanabara ao vencer o Botafogo por 3 a 1 neste sábado, no estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda. O time rubro-negro ainda tinha a vantagem do empate por ter feito melhor campanha na primeira fase. Mas sobrou em campo e agora fará a decisão do primeiro turno contra o Boavista, que eliminou o Bangu ao empatar por 2 a 2. 

O clássico carioca recebeu pouco menos de sete mil torcedores em Volta Redonda. O Maracanã, que seria palco de um duelo como esses, receberá um show. A final, em jogo único, deve ser confirmada para o estádio do Engenhão, no próximo domingo, dia 18. O Flamengo, mais uma vez, jogará pelo empate.

Os dois times, embora invictos na competição, iniciaram o jogo em situações diferentes. O Flamengo, com melhor campanha, contou com o retorno do zagueiro Rever e a estreia do atacante Henrique Dourado.

O Botafogo vinha de vexaminosa eliminação diante da Aparecidense na Copa do Brasil.

Além desta diferença psicológica, era nítida a diferença técnica e tática a favor do Flamengo. Bem posicionado, no esquema 4-1-4-1 não permitia ao Botafogo avançar muito além do meio campo. 

Aos 17 minutos, o estreante Dourado quase marcou de cabeça, após levantamento de falta de Diego. A bola passou bem perto da trave direita de Jefferson. A pressão gerou o primeiro gol aos 35 minutos. Diego, sempre ele, levantou, na área e Everton subiu bem para testar no canto do goleiro.

No segundo tempo, o pressionado técnico Felipe Conceição, que lembrava que seu time ainda estava invicto até esta semifinal, iniciou o processo de mudanças. A primeira com a entrada de Ezequiel no lugar de Rodrigo Pimpão. Depois, com Kieza substituindo Brenner, e, por fim, Renatinho na vaga de Leonardo Valência.

Mas, logo de cara, o Flamengo ampliou. A bola, de novo, saiu dos pés de Diego. Ele cruzou, Lucas Paquetá desviou e Henrique Dourado só completou para as redes. Na comemoração, fez o gesto já clássico do Ceifador, seu apelido.

Por alguns momentos, o Botafogo perdeu o controle em campo totalmente. Mesmo assim, diminuiu aos 23 minutos. Renatinho lançou Kieza em velocidade pelo lado esquerdo e Kieza bateu forte e no alto no ângulo direito de César. 

O Flamengo já tinha perdido seus dois zagueiros machucados, com Réver e Juan sendo substituídos, respectivamente, por Rhodolfo e Jonas. Por isso, somente aos 31 minutos, é que Carpegianni atendeu aos pedidos da torcida para a entrada de Vinícius Junior no lugar de Lucas Paquetá. 

Apesar da tentativa de reação, o Botafogo não conseguiu mais chegar com perigo. O Flamengo valorizou a posse de bola e, nos acréscimos, Vinícius Junior chutou de fora da área e marcou o terceiro. 

Na comemoração ele gesticulou com as mãos o chororô, revoltando os adversários que o cercaram rapidamente, gerando uma pequena confusão. "Não posso deixar de comemorar, porque gol é a alegria do jogo. Foi o momento do jogo" justificou Vinícius Junior, que foi amarelado.

FICHA TÉCNICA:

FLAMENGO 3 X 1 BOTAFOGO

FLAMENGO - César; Pará, Réver (Jonas), Juan (Rhodolfo) e Renê; Cuéllar, Everton Ribeiro, Diego, Lucas Paquetá (Vinícius Júnior) e Everton; Henrique Dourado. Técnico: Paulo César Carpegianni.

BOTAFOGO - Jefferson; Arnaldo, Marcelo, Igor Rabello e Gilson; Matheus Fernandes, João Paulo e Leonardo Valencia (Renatinho); Luiz Fernando, Rodrigo Pimpão (Ezequiel) e Brenner (Kieza). Técnico: Flávio Conceição.

GOLS - Everton, aos 35 minutos do primeiro tempo; Henrique Dourado, aos 3, Kieza, aos 23, e Vinícius Junior, aos 48 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Bruno Arleu de Araújo.

CARTÕES AMARELOS - Vinícius Junior (Flamengo). Matheus Fernandes, João Paulo, Ezequiel (Botafogo).

RENDA - R$ 257.600,00

PÚBLICO - 5.460 pagantes (6.955 presentes)

LOCAL - Estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda (RJ).