Esportes

Com patrocínio renovado, Gabriel Medina se mostra animado para a temporada

O surfista Gabriel Medina embarca neste domingo para o Havaí para finalizar a sua preparação visando ao início do Circuito Mundial de 2019. Ele aproveitou para curtir um poucos as férias com os amigos, treinou fisicamente sob os cuidados do preparador Allan Menache e fez a reta final ao lado do profissional no CT do Time Brasil, no Rio de Janeiro. O objetivo é claro: conquistar o seu terceiro título mundial e garantir a sua vaga nos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020, quando a modalidade fará a sua estreia.

"Fiquei 10 dias treinando no CT do Time Brasil, foram dias intensos. Participei do carnaval, pois tinha combinado com meu pai que se fosse campeão mundial poderia pular, mas já voltei a treinar, estou bem preparado. Vou com a família para o Havaí, faço uma pré-temporada e estou ansioso para esse começo de temporada. Vou defender o título e quero ir bem porque sonho em disputar a Olimpíada", afirmou.

O atleta participou de um evento nesta quinta-feira na sede da Audi Brasil, em São Paulo, onde foi anunciado que o patrocínio da marca ao surfista foi renovado até o final do ano, chegando no total a três temporadas consecutivas. Os valores não foram revelados, por sigilo contratual, mas Medina sabe que é muito bom ter um patrocínio renovado em um momento de baixa do mercado no Brasil, ainda mais depois dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016.

"É um prazer estar aqui renovando com a Audi, que sempre me ajudou. Viajo bastante, qualquer lugar que vou tenho um carro disponível para mim e isso ajuda muito na logística. Eu era criança, sempre fui fã do Ayrton Senna e ele era patrocinado pela Audi. Hoje tenho a oportunidade de estar em uma marca desse porte também", disse.

A primeira etapa do ano será a partir de 3 de abril, em Gold Coast, na Austrália. E Medina não vê a hora de entrar para competir com os melhores surfistas do mundo. "Pode ser o ano mais importante da minha vida. Sempre tive como objetivo ser três vezes campeão do mundo e, se conseguir, vou automaticamente estar na Olimpíada também", afirmou, ciente de que a caminhada ainda é longa.

Para chegar à Olimpíada de Tóquio, ele precisa ficar entre os dois brasileiros mais bem colocados no Circuito Mundial deste ano. Obviamente, se for campeão carimbará a vaga. E sabe que a disputa nacional será grande. "O Mineirinho, o Filipinho e o Italo sempre estão no topo do ranking e são bem fortes. Mas todo brasileiro tem capacidade de ser campeão, ganhar etapas. Então não posso vacilar", comentou.