Campo Mourão

Conselheiras tutelares e suplentes eleitos são diplomados em Campo Mourão

As novas conselheiras tomarão posse em janeiro de 2020.
Titulares e suplentes foram diplomados na tarde dessa quarta-feira, no auditório da Comcam

Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) de Campo Mourão fez na tarde desta quarta-feira (9), a diplomação das cinco conselheiras tutelares eleitas no último domingo e dos cinco suplentes. A solenidade foi realizada no auditório da Comcam, reunindo o juiz da Vara da Infância e Juventude, Edson Jacobuci Rueda Junior, o promotor da Vara da Infância e Juventude, Luciano Rahal, entre outras lideranças municipais.

Foram diplomadas as conselheiras Marisa Barbosa Palma; Zilda Inglez Modena; Silvana Lopes Pierini; Vilmara Luciana Queiroz de Souza; e Valdirene Neves. Além das cinco titulares eleitas, foram diplomados também os suplentes João Matheus Tavares; Vanderlei Smaha; Sandra Pires Lopes; Ioliani Costa Vigilato; e Gisela de Lima Ribeiro.

O presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), Wellington Souza comentou durante a diplomação que a eleição em Campo Mourão para o Conselho Tutelar foi ‘muito trabalhada’. Segundo ele, o número de eleitores que votaram, pouco mais de 3 mil, poderia ter sido ‘muito’ maior. “Desejo muita sorte para as conselheiras, que vocês tenham muita paciência, sejam sábias e tenham principalmente harmonia no Conselho”, falou. Ele disse também que as conselheiras eleitas passarão por um curso de capacitação.

O promotor da Vara da Infância e Juventude, Luciano Rahal e o juiz da Vara da Infância e Juventude, Edson Jacobuci Rueda Junior, destacaram a importância do trabalho dos conselheiros. “A nossa área tem um papel muito importante e sério porque trabalhamos com a parte da sociedade que não deu certo”, falou o juiz Jacobuci.

Rahal comentou ainda importância de os conselheiros estarem sempre se atualizando. “A mensagem que deixo ao CMDCA e à prefeitura é a importância de investir na capacitação continuada dos conselheiros. As leis, mudam, os desafios mudam e a cultura muda”, falou.

As novas conselheiras tomarão posse em janeiro de 2020 para quatro anos de mandato. O salário é de R$ 3,5 mil, pagos pelo município. Apesar da vinculação com a Secretaria Municipal de Assistência Social por integrar a rede de proteção à criança e ao adolescente, o Conselho é considerado um órgão autônomo, não-jurisdicional, encarregado pela sociedade de zelar pelo cumprimento dos direitos da criança e do adolescente, definidos pela legislação.

Números

Disputaram a eleição 27 candidatos (24 mulheres e três homens). Apesar da expectativa de maior participação dos eleitores em razão da utilização de urnas eletrônicas em cinco pontos da cidade, apenas 3.518 compareceram para votar. O número foi ainda menor que na eleição passada, quando em apenas um local votaram 3.782 eleitores. Como os eleitores poderiam votar em até cinco candidatos, foram registrados 17.590 votos. Os votos brancos somaram 5.991 e os nulos 1.017.