Campo Mourão

Corpo de Maria Bancke foi cremado na Argentina

As cinzas deverão chegar nesta quinta-feira a Campo Mourão.
O marido dela, Rui Laverde, 48, que pilotava a moto na hora do acidente, sofreu várias fraturas e também chega amanhã na cidade, mas de Campo Mourão, ele deve seguir para Curitiba para continuar o tratamento (Foto: Divulgação)

O corpo da contadora Maria Bancke Laverde, 48 anos, morta na quinta-feira passada em um acidente de moto na Argentina foi cremado no próprio país onde ocorreu o acidente e as cinzas deverão chegar nesta quinta-feira a Campo Mourão. O marido dela, Rui Laverde, 48, que pilotava a moto na hora do acidente, sofreu várias fraturas e também chega amanhã na cidade, mas de Campo Mourão, ele deve seguir para Curitiba para continuar o tratamento devido à gravidade dos ferimentos.

Ainda nesta quarta-feira, às 19 horas o bispo-coadjutor da diocese de Campo Mourão, dom Bruno Eliseu Versari celebra missa de 7º dia pela morte de Maria Laverde, na Catedral São José. O filho do casal, médico Bruno Laverde, que faz especialização em cirurgia plástica na Alemanha está na Argentina e providenciou uma UTI Aérea para o transporte do pai.

O casal fazia um passeio de moto na companhia de um grupo de amigos motociclistas de Campo Mourão rumo ao deserto de Atacama no Chile. Já na fronteira da Argentina com o Chile, eles decidiram retornar à Argentina onde deveriam se encontrar com outros motociclistas mourãoenses, em São Pedro de Atacama, a cerca de 160 km da fronteira. No momento do acidente, o casal trafegava separado do restante do grupo. A moto ocupada por eles bateu em um carro e Maria morreu no local do impacto.