Paraná

Em dois anos, Paraná investe R$ 112 milhões na Polícia Militar

O Governo do Paraná investiu, nos últimos dois anos, R$ 112 milhões na Polícia Militar do Estado. Os recursos foram utilizados para melhorar a estrutura da entidade, com aquisição de equipamentos e contratação de pessoal. Segundo o secretário da Segurança Pública e Administração Penitenciária, Wagner Mesquita, no mês em que a PM comemora 163 anos de história, é importante salientar os avanços obtidos nos últimos anos.

“É sempre importante ressaltar o trabalho de excelência realizado pelos nossos policiais militares no dia a dia do enfrentamento ao crime e no atendimento à população. O Governo do Paraná tem feito importantes investimentos visando trazer mais eficácia, qualidade e segurança no trabalho dos nossos policiais militares”, afirma Mesquita.

Os recursos aplicados pelo Governo permitiram melhorar as condições de trabalho dos agentes, com a aquisição de viaturas, coletes balísticos e armamentos. Mais do que substituir veículos antigos, as novas viaturas ampliaram a frota existente, possibilitando maior presença policial nas ruas, o que contribui para a prevenção e para inibir delitos, principalmente em locais e horários com maior incidência criminal. Para reforçar o patrulhamento, em 2014 também foram entregues cem módulos móveis e cem motocicletas.

“Esses investimentos tiveram pronta aplicação para a área operacional da PM e já contribuem para a redução de importantes índices criminais neste ano, se comparado ao mesmo período do ano passado”, acrescenta o secretário Mesquita.

Mais homens

Desde 2011, foram mais de 9,3 mil policiais militares contratados, entre soldados e cadetes. Eles fazem parte de um total de aproximadamente 11 mil contratações para as forças policiais do Paraná. Profissionais que passaram por cursos de formação (soldados), de carreira (cabos e sargentos) e de aperfeiçoamento, além de capacitações especializadas, como no caso do Batalhão de Operações Especiais (negociação em crises, operações especiais e controle de distúrbios civis). Para que isso fosse possível, foi instalado um novo centro de ensino para a corporação, além da Academia Policial Militar do Guatupê (São José dos Pinhais): a Escola de Formação, Aperfeiçoamento e Especialização (Esfaep) da PM em Maringá.

Com mais policiais, foi possível ampliar a estrutura da PM em todo o Estado. Até agora, foram seis batalhões instalados desde 2011: União da Vitória, Telêmaco Borba, Umuarama, Batalhão de Polícia de Fronteira (BPFron), Cidade Industrial de Curitiba e Colombo. Também foram inauguradas a Companhia Independente da PM em Loanda e em Cianorte; a 3ª Companhia do 21º BPM em Santo Antonio Sudoeste; a Companhia em Guaíra; o Pelotão da Lapa e o Posto de Polícia Militar Rodoviária do município de Floresta. A Corregedoria da PM também ganhou novas instalações.

Projetos

Para dar continuidade às ampliações, a Secretaria da Segurança Pública prevê uma série de melhorias nas estruturas físicas da PM. A parceria com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) prevê investimento total da ordem de US$ 112 milhões, nos próximos cinco anos.

Com esses recursos, será possível construir a primeira escola de formação de profissionais do Corpo de Bombeiros do Paraná, em São José dos Pinhais, junto à Academia Policial Militar Guatupê. A autorização para licitação da obra já foi assinada pelo governador Beto Richa. Também inserida neste pacote de obras está a reforma da Academia do Guatupê, cuja ordem será assinada na próxima semana.

Entre as demais construções estão as da sede do Batalhão de Patrulha Escolar e Comunitária (BPEC) em Curitiba; da sede do Batalhão de Polícia de Fronteira (BPFron) em Marechal Cândido Rondon; da sede do 5º Comando Regional de Polícia Militar do Paraná (5º CRPM) em Cascavel; da sede do Batalhão de Operações Especiais (Bope) em São José dos Pinhais e da sede do 9º Grupamento do Corpo de Bombeiros (9º GB) em Foz do Iguaçu. Junto com as novas sedes, o projeto engloba a reforma do 13º Batalhão da PM em Curitiba.

Outra área importante que recebeu atenção foi o Batalhão da PM de Operações Aéreas, que em seis anos desempenhou mais de 4 mil missões e transportou mais de mil vítimas. Com abrangência em todo o Estado, o serviço policial aéreo foi ampliado: das atuais seis aeronaves, três foram adquiridas a partir de 2011 (dois helicópteros e um avião).

Serviços importantes para a segurança pública também foram fortalecidos, como o Disque-denúncia 181 e o Departamento de Inteligência do Paraná (Diep).

E, para auxiliar o trabalho dos policiais nas ruas, o Paraná passou a contar com uma nova ferramenta: o Centro Integrado de Comando e Controle. Grandes eventos e atividades em pontos estratégicos, como ruas, estações, terminais e rotatórias, são acompanhados, em tempo real, por meio de imagens de mais de 2 mil câmeras que chegam até a sede da Segurança Pública. As câmeras possuem também sistema de leitura de placas de veículos.

Além de inibir ações delituosas e de auxiliar na apuração de crimes e infrações, as câmeras direcionadas para o Centro Integrado acompanham o desenrolar de eventos com grandes aglomerações de pessoas, como jogos esportivos e manifestações populares. O aparato tecnológico também permite o monitoramento dos indivíduos que receberam o benefício da tornozeleira eletrônica como parte do cumprimento da pena, concedido pelo Poder Judiciário.

Fronteira

Na parte operacional, a região de fronteira, por conta de suas particularidades, recebeu investimentos específicos, na ordem de R$ 25,3 milhões, provenientes de convênio com o governo federal para aquisição de metralhadoras, munição, escudos balísticos, caminhões guincho, motocicletas e veículos.

Bombeiros

A ampliação de atendimento à população se repetiu nas estruturas do Corpo de Bombeiros: nos últimos dois anos, 14 cidades passaram a contar com quartéis da corporação, o que representa um importante avanço no planejamento estratégico de expansão dos trabalhos.

No Litoral do Estado foi montada uma Base Náutica de Busca e Salvamento do Corpo de Bombeiros. Além disso, nos últimos dois anos foram investidos cerca de R$ 11 milhões em materiais operacionais, tais como equipamentos de proteção individual e desencarceradores hidráulicos.

Oitenta viaturas do tipo SUV foram adquiridas neste ano, no valor de aproximados R$ 7,7 milhões. Em 2016, 20 viaturas tipo camionete foram compradas para ações de busca e salvamento e 20 ambulâncias, que somam mais de R$ 4 milhões em recursos públicos.

Já em 2015, foram adquiridos 126 veículos leves, utilizados em atividades de busca e salvamento, vistorias e fiscalizações, no valor de R$ 10 milhões. Houve também a aquisição de 30 caminhões de combate a incêndios, com investimento de aproximadamente R$ 17 milhões.