Campo Mourão

Frio “freia” dengue na região, mas cuidados devem ser mantidos

A região registra 838 casos de dengue.
Cuidados devem ser mantidos pela população mesmo nesta época de frio mais intenso, alerta saúde

O frio intenso dos últimos dias “freou” os casos de dengue em Campo Mourao e região da última semana para esta. Após os casos de dengue aumentando significativamente semanalmente, da ultima semana para cá não houve nenhum registro de novos casos da doença na Comcam.

É o que aponta o informe técnico divulgado nesta semana pela Secretaria de Saúde do Estado (Sesa). Os casos se mantiveram em 838, sendo 822 autóctones (transmitidos dentro do município) e 16 importados, mesmo número da semana passada. As notificações também se mantiveram: 3.335.

Contudo, o chefe da 11ª Regional de Saúde de Campo Mourão, Eurivelton Wagner Siqueira, alerta que os cuidados de prevenção devem ser mantidos mesmo no frio mais intenso. “Neste momento os ovos do mosquito estão adormecidos, mas as temperaturas já começam a subir e eles vão eclodir. Por isso a importância de se manter a limpeza e evitar água acumulada parada”, orientou, ao comentar que os óvulos resistem até um ano até eclodirem. O vírus é transmitido pelo Aedes aegypti, mosquito transmissor também da febre chikungunya, febre amarela, e zika vírus.

Na região da Comcam seis municípios estão na lista de cidades com epidemia: Campo Mourão, com 290 casos, Terra Boa (52), Peabiru (119), Quinta do Sol (36); Moreira Sales (177) e Rancho Alegre D´Oeste (24). A epidemia é confirmada depois que a cidade aponta, proporcionalmente, mais de 300 casos por 100 mil habitantes.

As cidades com casos de dengue são Araruna (9); Barbosa Ferraz (1); Boa Esperança (9); Campina da Lagoa (14); Campo Mourão (290); Corumbataí do Sul (11); Engenheiro Beltrão (32); Farol (5); Fênix (7); Goioerê (40); Iretama (6), Janiópolis (1); Mamborê (4); Moreira Sales (138); Nova Cantu (6); Peabiru (119); Quarto Centenário (1); Quinta do Sol (36); Rancho Alegre d’Oeste (24); Roncador (2) Terra Boa (52); e Ubiratã (31).

Paraná

O boletim epidemiológico aponta que o Paraná registra 18.780 casos de dengue. São 1.004 casos a mais que o informativo da semana anterior que apontava 17.776 confirmações. O número de municípios em epidemia também aumentou: passou de 81 para 88. Mais 56 municípios estão em sinal de alerta para epidemia. Até o momento são 21 mortes pelo vírus no Estado.

Pesquisa vetorial realizada entre os meses de abril e junho deste ano mostra que 329 municípios paranaenses são considerados infestados, ou seja, 82,5% apresentam disseminação e manutenção de vetor nos domicílios. O Índice de Infestação Predial (IIP) confirma que 77,5% dos imóveis pesquisados apresentaram criadouros e focos do mosquito passíveis de remoção como recipientes plásticos, garrafas, latas, sucatas, entulhos de construção, pneus, vasos de plantas, bebedouros e recipientes para degelo de geladeiras.

O IIP também mostra que 15,77% dos criadouros estão em depósitos ao nível do solo para armazenamento doméstico. O levantamento para calcular o Índice de Infestação Predial também detectou criadouros do mosquito transmissor da dengue em depósitos de água elevados, plantas, buracos em árvores e em rochas.