Economia

Gustavo Franco diz que segue em processo de indicação para Conselho do BNDES

O ex-presidente do Banco Central (BC) e sócio da Rio Bravo Investimento, Gustavo Franco, segue no processo para ser indicado como presidente do Conselho de Administração do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), disse o economista na noite desta segunda-feira. Mais cedo, o colunista Ancelmo Góis, do jornal "O Globo", publicou que Franco não iria mais ocupar o cargo.

"Está em processo", disse Franco, quando questionado por jornalistas após participar de seminário no Instituto de Estudos de Política Econômica/Casa das Garças (IEPE/CdG), no Rio, sobre a indicação de seu nome para o Conselho do BNDES. O economista negou que tenha retirado seu nome do processo. Questionado se sua indicação estava mantida pelo Ministério da Economia, Franco respondeu: "Que eu saiba sim".

O ex-presidente do BC explicou que a indicação para membro do Conselho do BNDES tem sido burocrática, por causa de alterações no processo após a Lei das Estatais. Em primeiro lugar o nome dos indicados tem que passar por um "background check" na Casa Civil, etapa que teria sido vencida. Em seguida, os nomes devem ser aprovados por um comitê de elegibilidade formado em cada estatal. Por fim, há uma aprovação final pela Controladoria Geral da União (CGU).

Franco lembrou que, por atuar no setor privado, talvez a burocracia seja mais complexa. A Rio Bravo Investimentos é sócia de empresas, presta consultoria e, Franco pessoalmente participa de "alguns" conselhos de administração de companhias abertas. "Estou fazendo direitinho meu dever de casa, dando todas as informações que me solicitam", disse o ex-presidente do BC, que declinou de fazer comentários sobre os rumos no BNDES.