Policial

Homem é assassinado a tiros e CM registra 3º homicídio do ano

(Foto: João Silvestrin)

Um homem de 41 anos foi assassinado a tiros na noite desta quarta-feira (21) em Campo Mourão, na Avenida dos Lagos, conjunto Avelino Piacentini. A vítima foi identificada como Carlos de Souza Paula. É o terceiro homicídio registrado no município somente nestes dois primeiros meses do ano.

A reportagem da TRIBUNA apurou no local da morte que a vítima estava na calçada, quando foi surpreendida por duas pessoas que estavam em um veículo de cor escura, um dos ocupantes chegou já efetuando dois disparos contra Paula, que foi atingido no rosto. O homem morreu no local. Uma ambulância avançada do Samu e o Corpo de Bombeiros foram acionadas, mas nada puderam fazer.

Equipes da Polícia Militar (PM) e Polícia Civil também estiveram no local para fazer o levantamento do homicídio. Uma equipe da Rotam realizou patrulhamento no bairro, mas não conseguiu encontrar os criminosos até o momento. Conforme informações, a vítima tinha várias passagens pela polícia por crimes praticados.

Outros homicídios

O primeiro homicídio do ano foi registrado no dia 23 de janeiro. O comerciante Nelson Bassi, 69, foi vítima de um latrocínio em seu estabelecimento comercial, na Avenida Jorge Walter. O assalto aconteceu no dia 22, a vítima levou um tiro no abdômen, foi socorrida e encaminhada à Santa Casa, mas não resistiu aos ferimentos, morrendo na manhã do dia seguinte. A Polícia Civil já prendeu os autores do crime. Trata-se de dois rapazes de 21 e 24 anos.

Já o segundo assassinato, ocorreu na madrugada do dia sábado 27 de janeiro, no jardim Lar Paraná. A vítima, identificada como Osvaldo Ribeiro, 42, foi encontrada dentro de um veículo GM/Corsa, com placas de Roncador, com várias perfurações pelo corpo. O carro estava estacionado na Avenida Presidente John Kennedy, próximo ao destacamento da Polícia Militar (PM). Ribeiro foi socorrido com vida por uma equipe do Samu, mas não resistiu aos ferimentos. A polícia apreendeu duas adolescentes de 13 e 15 anos que confessaram a autoria do assassinato. Com informações de João Silvestrin.