Campo Mourão

Igreja inaugura neste sábado o Centro de História da Família em Campo Mourão

["No centro, qualquer pessoa pode ter acesso a registros de casamento, nascimento e \u00f3bito de parentes que j\u00e1 faleceram"]

Já imaginou ter entre sua família um rei, uma rainha, ou até mesmo bárbaros da Idade Média? Pois bem, descobrir estas informações é possível através de pesquisa no Centro da História da Família (CHF), mantido pela Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias em todo o mundo, inclusive em Campo Mourão.

A diretora de assuntos públicos da Igreja do distrito de Campo Mourão, Sandy Ramal Coimbra, comentou que apesar de o serviço já ser oferecido na cidade há algum tempo não tinha divulgação. Por isso a Igreja decidiu fazer um evento de abertura do Centro neste sábado, às 19 horas, para que a população tenha conhecimento da ferramenta. O espaço fica localizado na Avenida João Bento, nº 1000, anexo à Igreja.

“O Centro já tem certa procura de algumas pessoas da cidade que vão à igreja fazer este estudo da sua genealogia. Quem tiver interesse, qualquer pessoa, mesmo que seja de outra religião pode ter acesso ao Centro de História da Família”, falou Sandy.

Segundo ela, o CHF possui fotografias de registros de cartórios de todo o mundo. Nele, qualquer pessoa pode ter acesso a registros de casamento, nascimento e óbito de parentes que já faleceram. A proposta é obter informações sobre os antepassados para entender a própria história e construir a árvore genealógica.

De acordo com Sandy, o objetivo do CHF é resgatar a essência da família. E, para isso, é necessário conhecer toda a sua história. O primeiro passo é descobrir detalhes simples, como nome dos pais, avós e bisavós e, a partir daí, começar a pesquisa. “Os próprios interessados podem fazer sua própria pesquisa para que a partir disso consigamos pedir demais detalhes por meio de micro filmes que solicitamos em nossa central”, falou Sandy.

Todas as informações recebidas são disponibilizadas em microfilmes e enviadas a uma biblioteca em Utah, nos Estados Unidos. Cópias são redistribuídas para os outros países em que existe o trabalho.

Para criar a maior biblioteca do mundo, com mais de 2 milhões de microfilmes, equipes da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias de todo mundo percorrem cartórios com uma espécie de scanner. Com este aparelho são fotografados os diversos registros de pessoas que já faleceram. Atualmente, há 300 câmeras em trabalho em 45 países.

Sandy comentou que a ideia da Igreja é colocar todos estes registros no sistema online para facilitar as pesquisas. Segundo ela, diferentemente do CHF, há também disponível o sistema online, onde a pessoa pode encontrar várias informações sobre seu antepassado. A inciativa acaba se tornando em um serviço valioso para a comunidade, já que algumas pessoas podem inclusive tirar a cidadania de outros países comprovando seu antepassado. “Se você encontra, por exemplo, na sua árvore genealógica um trisavô italiano consegue tirar a cidadania italiana com base nestas informações”, comentou Sandy.

O CHF

A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias orienta seus membros a fazerem sua genealogia com a finalidade de resgatar seus antepassados. Para tanto, a Igreja oferece as condições necessárias para pesquisar em seus Centros de História da Família (CHF), onde pode-se pesquisar imagens dos registros civis, bem como da Igreja Católica, Arquivos Públicos e edições referentes à genealogia do mundo todo.

São 310 Centros de História da Família espalhados pelo Brasil. A pesquisa não se restringe apenas aos membros da Igreja, sendo franqueado também ao público em geral, sem nenhum custo, onde serão orientados por consultores designados. Atualmente, a Igreja disponibiliza a pesquisa on-line, possibilitando que todos, membros e não membros, possam efetuar suas pesquisas em suas casas.

Os Centros de História da Família (CHF) são locais de pesquisa genealógica ligados à Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Em 2015, havia mais de 4.800 CHF em 134 países, sendo coordenados pela entidade denominada FamilySearch, cuja sede localiza-se na cidade de Salt Lake City (Utah) nos Estados Unidos da América.

Fundada em 13 de novembro de 1894, a Sociedade Genealógica de Utah, hoje FamilySearch, através dos Centros de História da Família, disponibiliza um gigantesco banco de dados genealógico, possivelmente o maior do mundo desta natureza. São mais de dois mil milhões de microfilmes que reproduzem os seguintes registros: assentos de registro civil (registros de nascimento, casamento e óbito); assentos de registro paroquial (registros de batismo, casamento religioso e morte); censos de população; listas de passageiros de navios; listas de hospedarias de imigrantes; livros sobre temas da genealogia (livros de famílias ilustres, brasonários etc.). Os CHF normalmente são geridos por voluntários Mórmons e são abertos a todos os cidadãos, independentemente da sua religião.