Campo Mourão

Ipem faz fiscalização de taxímetros em Campo Mourão

O Instituto fez a verificação de 42 veículos.
(Foto: Walter Pereira/Tribuna do Interior)

Fiscais do Instituto de Pesos e Medidas (Ipem) fizeram nesta semana a fiscalização do funcionamento de taxímetros em Campo Mourão. O Instituto fez a verificação de 42 veículos. Nenhuma irregularidade foi detectada. Os profissionais taxistas foram convocados por meio de publicação no Diário Oficial do Estado.

A inspeção faz parte dos trabalhos de rotina do Ipem. Por lei, os taxímetros instalados em veículos de aluguel são obrigados ser verificados periodicamente dentro do exercício de um ano. Além da publicação em diário oficial, técnicos do Instituto foram antecipadamente nos pontos de táxis e combinaram a da data e horário dos testes.

“Com este trabalho o Ipem procura garantir tranquilidade na relação de consumo. Claro que o consumidor também tem que ficar atento a qualquer situação suspeita”, orientou o gerente regional do Ipem em Maringá, Michel Angelo Ravazi Tavares, que reponde pela região de Campo Mourão.

No teste prático, o Ipem verificou se a quilometragem percorrida pelos veículos correspondia à indicada nos taxímetros. “Marcamos uma pista com cerca de 1,050 mil a 1,20 mil metros e andamos com o táxi para ver se os dados estavam batendo”, explicou Ravazi.

Caso as informações do aparelho não batam com a quilometragem percorrida, o equipamento é reprovado e o proprietário do táxi fica passivo de receber um auto de infração que pode chegar até R$ 1 milhão. Posteriormente o equipamento deve também por reparos necessários com o taxista se apresentando na sede do Ipem em Maringá para fazer a verificação pós-reparo. “O taxímetro recebe o reparo em oficinas credenciadas ao Ipem”, informou Tavares. Ele ressaltou que a verificação previne que o consumidor seja lesado. “Esta é a garantia ao consumidor que ele está pagando o justo pelo serviço”, afirmou.

Atenção

Para identificar se o taxímetro foi verificado pelo Ipem, o passageiro deve observar a existência do lacre amarelo, que impede o acesso à regulagem do aparelho, e do selo do Inmetro com a frase “verificado até 2019”. Caso o lacre esteja rompido, não se deve aceitar a corrida.

“O Instituto faz a verificação, lacra o taxímetro e coloca uma etiqueta adesiva informando o prazo de validade da verificação. Com isso não pode haver alteração no sistema de cobrança já configurado no aparelho”, explicou Tavares.

A inspeção é feita anualmente. A utilização de taxímetro nos veículos de aluguel é determinada pelas prefeituras dos municípios. Na região Noroeste do Estado o aparelho é utilizado nas cidades de Maringá, Umuarama e Campo Mourão.

Orientação ao consumidor

O consumidor que notar irregularidades ou tiver dúvidas pode entrar em contato com a Ouvidoria do Ipem pelo telefone 0800-645-0102. O Ipem orienta ainda aos consumidores solicitarem notas fiscais e comprovantes das corridas com informações do veículo. O Ipem é delegado pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (INMETRO) para fazer avaliações relativas à conformidade de produtos e serviços e verificação metrológica.