Esportes

Itália só empata com a Suécia e está fora da Copa pela primeira vez desde 1958

Empatou, por 0 a 0, no estádio San Siro, em Milão, e não jogará o Mundial da Rússia.

A seleção italiana ficará novamente fora de uma Copa do Mundo após 60 anos. Depois de perder o jogo de ida na repescagem europeia para a Suécia, por 1 a 0, a equipe pressionou nesta segunda-feira, mas demonstrou uma notável incapacidade de criar. Empatou, assim, por 0 a 0, no estádio San Siro, em Milão, e não jogará o Mundial da Rússia.

E não se pode dizer que a histórica decepção seja fortuita. Depois de ser campeã mundial em 2006, na Alemanha, a Itália protagonizou vexames nas duas Copas seguidas: caiu na primeira fase tanto em 2010, na África do Sul, quanto em 2014, no Brasil

Na fase de grupos das Eliminatórias Europeias da Copa de 2018, por sua vez, foi a segunda de uma chave que tinha Albânia, Israel, Macedônia e Liechtenstein. Ficou atrás da Espanha, ao perder por um inapelável 3 a 0 em Madri, no Santiago Bernabéu.

O contestado técnico Gian Piero Ventura, então, tinha a chance de se redimir na repescagem, contra a Suécia. Decepcionou no duelo de ida, em Solna, ao perder por 1 a 0. E, nesta segunda-feira, sucumbiu frente à inoperância de sua equipe.

Campeã mundial em 1934, 1938, 1982 e 2006, a Itália não ficava fora de uma Copa desde 1958. Será, ainda, apenas a terceira vez que não jogará a competição - a outra ocorrera na edição de estreia, em 1930.

Já a Suécia, que disputará seu 12º Mundial, havia sido eliminada nas Eliminatórias em 2010 e 2014. E, coincidentemente, retorna a uma Copa quando seu principal astro, Zlatan Ibrahimovic, não está mais na equipe.

O JOGO - Com seu bom trio de zagueiros formado por Barzagli, Bonucci e Chiellini, além de Immobile no comando do ataque, mas Insigne no banco, a seleção italiana fez o esperado e iniciou o jogo pressionando a Suécia.

A falta de qualidade na troca de passes, contudo, era evidente. Recuada e apostando nos contra-ataques, a Suécia não tinha grandes dificuldades para neutralizar o ataque adversário. Tanto que a primeira chance italiana veio apenas aos 26: Immobile recebeu de Jorginho, cruzou rasteiro, a bola atravessou a pequena área e ninguém apareceu para empurrar. Candreva ainda aproveitou e finalizou por cima.

Jogador mais perigoso da seleção italiana, Immobile seguia se movimentando bem. Aos 39, novamente dentro da área, ele recebeu, girou e bateu prensado com o goleiro - Lustig afastou antes que a bola entrasse.

A tônica da partida permaneceu a mesma no segundo tempo: enquanto a Suécia recuava, a Itália tentava evitar o vexame com uma pressão atabalhoada. Ainda assim, quase abriu o placar com um golaço aos oito minutis, quando Florenzi acertou belo voleio. A bola saiu rente à trave esquerda.

A tensão, então, passou a aumentar a cada minuto. A seleção italiana ainda acertou o travessão, em cruzamento de Florenzi que desviou na zaga. Era pouco. Com uma grande dificuldade de criação, a equipe protagonizou um vexame histórico e ficará fora de uma Copa após 60 anos. Será, ainda, a única campeã mundial não classificada para a Copa da Rússia.

O Mundial de 2018 conta agora com 29 seleções classificadas. Além da Suécia, estão confirmados Egito, Nigéria, Senegal, Marrocos, Tunísia, Rússia (país-sede), Brasil, Bélgica, Inglaterra, França, Alemanha, Islândia, Polônia, Portugal, Sérvia, Espanha, Argentina, Colômbia, Uruguai, Costa Rica, Panamá, México, Irã, Japão, Coreia do Sul, Arábia Saudita, Croácia e Suíça, estas duas últimas também garantidas na repescagem europeia.