Campo Mourão

Lira revela que Campo Mourão está com alto risco de infestação de dengue

Há bairros em que a situação é extremamente crítica.

O Departamento de Endemias da Secretaria de Saúde da Prefeitura de Campo Mourão concluiu mais um Levantamento de Índice Rápido (LIRA), que mede o risco de infestação do mosquito da dengue. O resultado é preocupante e acende luz de alerta para a proliferação do Aedes aegypti em toda a cidade, com média geral de 4,23% entre todos os bairros da cidade. O preconizado pelo Ministério da Saúde é de até 1,0%.

Há bairros em que a situação é extremamente crítica, como o Pio XII (Indianópolis), que chega a 9,88% de infestação. Outros sete bairros registram índices também acima de 7%: Diamante Azul (Condor, Montes Claros), Lar Paraná (Vila Cândida), Nossa Senhora Aparecida (Silvana), Novo Horizonte (Alcântara, Horizonte, Ione e Kennedy), Santa Clara (José Richa, Modelo), Fortunato Perdoncini e Vila Urupês (Centro, Constantino). No Araucária (Botânico) e Paulista (Flor do Campo), os índices são de 6,82% e 6,25%, respectivamente.

Acima dos 4%, em que gera alto risco para a dengue, e abaixo dos 6% aparecem mais sete bairros: Ipê (Damasco, Fernandes), Tropical I (América), Capricórnio (parque São João e Zoraide), Ipê II (Maria Barleta, Parque das Acácias, Novo Centro), Cidade Nova, Laura (Country, Maira e Lurdes) e Paulino (Europa, Parque Industrial).

De acordo com o coordenador do Comitê Gestor da Dengue, Carlos Bezerra, o tempo quente e chuvoso favorece a formação de focos do mosquito. No entanto, a conscientização dos mourãoenses ainda é o fator principal para evitar o avanço na infestação do mosquito. “O momento é de alerta máximo. Todos precisam cuidar dos quintais evitando todo tipo de água parada e quem tem piscina que faça o tratamento adequado”, pede ele.

O Lira, feito durante a semana passada, visitou 1.608 imóveis, num universo de 48.200. Foram encontrados focos do mosquito em 68. “Os principais criadouros são lixo, como plástico, vidro, metal, papelão, sucatas e recicláveis. Também apareceram focos em piscinas, tambores, tanques, poço, lona plástica e pneus. “Nossas equipes estão a campo fazendo o trabalho de eliminação desses focos, mas as pessoas precisam fazer também a sua parte.”

Apenas seis bairros apresentaram índice zero de infestação. Onze bairros estão na faixa do risco médio, entre 1,54% a 3,92% de infestação. A boa notícia é que Campo Mourão não registra casos de dengue desde junho do ano passado.