Região

Mais de 300 famílias da região são atendidas pelo programa “Caixa d’Água Boa”

Prefeito de Boa Esperança, Wenderson Santos, que participou do lançamento do programa, disse que o mesmo vai interferir diretamente na qualidade de vida dos beneficiados

Onze cidades da Comunidade dos Municípios da Região de Campo Mourão estão sendo atendidas pelo programa do Governo do Estado, “Caixa d’Água Boa”, lançado nesta semana pelo governador Ratinho Junior (PSD). Em média 30 famílias por município irão receber kits nesta fase do programa, totalizando 330 na região.

As cidades contempladas são: Altamira do Paraná; Boa Esperança;

Fênix; Quinta do Sol; Barbosa Ferraz; Campina da Lagoa; Corumbataí do Sul; Iretama; Moreira Sales; Nova Cantu; e Roncador. Em todo o Estado são 134 municípios beneficiados com 3,5 mil famílias atendidas.

A iniciativa viabiliza a instalação de caixas d’águas em casas de famílias carentes. “O projeto é muito positivo às famílias mais carentes. Uma caixa d’água pode não significar muito em questão de valores, mas para as pessoas que estarão sendo beneficiadas representa muita coisa”, afirmou o prefeito de Iretama, Wilson Carlos de Assis (PP), que teve 30 famílias contempladas.

Segundo ele, muitas famílias em Iretama ainda utilizam caixas d’água de amianto, que oferecem riscos as saúde. “Tem famílias que não têm condições de trocar estas caixas, porque envolve a substituição também de encanamentos, gerando um valor considerável”, frisou. O prefeito informou ainda que os beneficiados foram triados pela Assistência Social do município. “São pessoas em situação de vulnerabilidade social que atendem os requisitos do programa. Esperamos que futuramente mais famílias possam ser atendidas pelo programa”, espera.

O prefeito de Boa Esperança, Wenderson Aparecido Pereira dos Santos (PSB), elogiou o programa. Segundo ele, a iniciativa é muito importante a quem mais precisa. “Vai dar segurança e tranquilidade aos moradores que não possuem caixa d’água em casa. Isso vai interferir diretamente em sua qualidade de vida”, falou. Boa Esperança também foi contemplada com 30 kits.

O prefeito disse esperar que moradores da zona rural também possam ser atendidos pelo programa, que atualmente atende apenas pessoas da zona urbana. “É mais um importante programa do Estado sendo implantado no interior em parceria com os municípios, só temos a agradecer ao governador, Sanepar e Secretaria Justiça, que também estão sendo parceiros nesta iniciativa”, observou.

Quem também destacou o projeto foi o prefeito de Barbosa Ferraz, Edenilson Miliossi (Cidadania), presidente da Comcam. Segundo ele, o programa vai gerar dignidade para as famílias mais carentes da região. “O programa dá mais qualidade de vida para essas famílias garantindo o acesso à água tratada e uma reserva em caso de manutenção na rede”, falou ao comentar que a existência de uma caixa d’água pode passar despercebida, mas para as pessoas mais carentes faz toda a diferença.

Altair Molina Serrano (PMDB), prefeito de Fênix, cidade também beneficiada, disse que o programa tem importância também na prevenção de doenças como a dengue. “Muitas cidades ainda têm problemas com caixas d’água destampadas, que ajudam na proliferação de focos do mosquito transmissor de doenças. Esse programa pressupõe, também, orientação e consciência sobre o uso da água”, disse.

O programa

O programa “Caixa d’Água Boa” visa a melhoria da qualidade de vida das famílias em situação de vulnerabilidade social. Os recursos são oriundos de um contrato do Estado com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), que prevê regularização fundiária de assentamentos precários e produção ou melhoria de moradias urbanas e rurais – na qual se insere o programa.

A Secretaria da Justiça, Família e Trabalho e a Sanepar são as principais responsáveis pelo desenvolvimento do programa no Estado, em parceria com os municípios. A melhoria do abastecimento de água e das condições de habitabilidade tem como alvo as residências de famílias em situação de vulnerabilidade social, com renda familiar per capita de até R$ 499,00, habitantes da área urbana nos municípios prioritários com baixo IDH (Índice de Desenvolvimento Humano), que possuem os indicadores sociais e econômicos mais críticos do Estado.

A Sanepar doa os conjuntos compostos por reservatório domiciliar com capacidade de 500 litros, tubulação e base metálica e a Secretaria da Justiça, Família e Trabalho promove um auxílio financeiro no valor de R$ 1 mil para investir na mão de obra necessária à instalação. Os municípios são responsáveis pelo armazenamento e distribuição dos materiais que compõem o kit e fiscalizam a instalação.

O programa deverá atender cerca de 5.600 famílias até 2020. O investimento global é de R$ 15 milhões, incluindo mão de obra, materiais de construção e as caixas d’água.

As famílias contempladas devem atender aos seguintes critérios: residir em município abrangido por programas sociais da Secretaria da Justiça, Família e Trabalho e que possua contrato de concessão ou programa vigente com a Sanepar; residir em domicílio urbano abastecido com água pela companhia; estar inscrita no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) e encontrar-se em situação de vulnerabilidade social conforme Índice de Vulnerabilidade das Famílias (IVFPR) e, por fim, ter renda máxima de até meio salário-mínimo.