Campo Mourão

Marcio Nunes desabafa após protesto de professores: ‘baderneiros’

Nunes: “Tem gente que não aprende, quer transformar a nossa cidade em uma terra hostil”

O protesto de servidores da educação na manhã de ontem, na chegada do Governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Junior (PSD) em Campo Mourão, causou irritação no deputado estadual Marcio Nunes, secretário estadual de Sustentabilidade Ambiental e Turismo, que saiu em defesa de Ratinho, e chegou a avaliar o protesto de ‘baderna’ durante seu discurso.

Os servidores se concentraram em frente ao teatro municipal com faixas, cartazes e fizeram também um ‘apitaço’, para chamar a atenção de Ratinho para a situação da educação, que segundo os protestantes está ‘sucateada’.

“Tem gente que não aprende, quer transformar a nossa cidade em uma terra hostil. E nós não temos aqui um povo hostil, temos um povo bom e hospitaleiro. Nas outras regiões do Paraná as pessoas nos receberam comemorando, mas quando entrei aqui parecia que tinha chegado para um velório”, disse se referindo aos manifestantes.

E prosseguiu o deputado: “A gente até respeita os manifestantes, mas tudo tem a sua hora e lugar. E o dia e a hora hoje é de agradecer o Governador Ratinho Junior que veio trazer os recursos para Campo Mourão e toda região”, emendou.

Nunes comentou que se Ratinho fosse um governo fechado ao diálogo ‘qualquer coisa parecida com o protesto seria admissível’. “Mas o que não admitimos é baderna. Muita gente deixou de estar aqui hoje [ontem] porque quando chegaram lá viram faixas e apitaço. Então iam fazer o que aqui?”, disse. “Não vou me misturar a isso”, ressaltou.

O deputado comentou que Campo Mourão e região, ‘num passado muito recente’ foram prejudicados por isso. “As autoridades não queriam vir a Campo Mourão porque eram recebidos com hostilidade e ninguém gosta de chegar em uma cidade e ser recebido com hostilidade. Então isso que vem acontecendo em Campo Mourão nos últimos anos afugenta as lideranças de virem aqui. E sempre quando uma liderança visita a cidade a gente pede recursos”, comentou.

O deputado finalizou o seu discurso pedido desculpas a Ratinho. “Em nome de Campo Mourão e região quero pedir desculpas ao governador Ratinho. E pode ter certeza que o povo aqui é ordeiro e trabalhador e reconhece você”, falou, ao acrescentar que ‘tem gente que não perde uma oportunidade de qualquer proveito político para fazer uma encenação’. “O povo não admite mais, não suporta mais este jogo de encenação ele quer trabalho dos homens públicos”, frisou.