Campo Mourão

Metas do IDEB de Escolas Municipais superam expectativas

O maior percentual no IDEB 2017 obtido por escolas municipais mourãoenses veio com a Escola Urupês, que chegou a 6.9.
A Secretaria da Educação do Município tem traçado metas e investido em formações tanto para professores como para gestores das unidades de ensino, visando orientar sobre as iniciativas capazes de elevar o índice de cada escola municipal, partindo da análise da aplicabilidade dos planos de ações (Foto: Assessoria)

O Ministério de Educação (MEC) divulgou neste mês de setembro o resultado do o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) de 2017. A meta projetada para as escolas municipais de Campo Mourão era de 5,8 e a média geral foi de 6,3, superando as expectativas. A Secretaria da Educação do Município tem traçado metas e investido em formações tanto para professores como para gestores das unidades de ensino, visando orientar sobre as iniciativas capazes de elevar o índice de cada escola municipal, partindo da análise da aplicabilidade dos planos de ações.

De acordo com Ana Kaffa Hauagge Ribeiro, Chefe do Departamento de Ensino da Secretaria de Educação, e melhoria da qualidade do ensino é fruto das parcerias estabelecidas entre a Secretaria da Educação, unidades de ensino e famílias. “Quando a comunidade escolar entende o seu verdadeiro papel na educação e na escolarização dos alunos, os resultados serão positivos e sempre crescentes”, destaca.

Percentuais

O maior percentual no IDEB 2017 obtido por escolas municipais mourãoenses veio com a Escola Urupês, que chegou a 6.9. A Escola Gurilândia obteve 6.8. A Escola Monteiro Lobato obteve 6.6. A Escola Bento Mossurunga ficou com 6.5. O Bento Mossurunga obteve 6.4. Com 6.0 veio o Eroni Maciel Ribas. O Manoel Bandeira obteve 5.8 e a Castro Alves 5.6.

O IDEB

Em 2007, foi criado o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB). O indicador, que mede a qualidade da educação nos sistemas municipais, estaduais e federal de ensino, tem objetivos educacionais para atingir. A partir deste instrumento, o Ministério da Educação traçou metas de desempenho bianuais para cada escola e cada rede até 2022. O novo indicador utilizou na primeira medição dados que foram levantados em 2005. Dois anos mais tarde, em 2007, ficou provado que unir o país em torno da educação pode trazer resultados efetivos. O cálculo do IDEB é feito com base nas taxas de rendimento escolar (aprovação e reprovação) e no resultado da Prova Brasil.