Policial

MP denuncia professor por feminicídio de advogada no interior do Paraná

O Ministério Público do Paraná (MP-PR) denunciou no final da tarde de segunda-feira, 6, o professor de Biologia Luiz Felipe Manvailer pelo crime de feminicídio. Manvailer é suspeito de jogar a esposa, a advogada Tatiane Spitzner, do quarto andar do prédio onde moravam, em Guarapuava, a 257 quilômetros de Curitiba, na madrugada de 22 de julho. A denúncia foi feita por meio da 10ª e 12ª Promotorias de Justiça de Guarapuava.

A defesa de Manvailer informou por meio de nota que " mantém sua posição de permanecer no aguardo do resultado de exames periciais no corpo da vítima (exame de necropsia), no apartamento do casal, nas câmeras de segurança, nos smartphones, computadores e HDs apreendidos e na realização de reprodução simulada dos fatos com a participação do acusado", afirmou. Imagens de câmeras do prédio onde o casal morava flagrou uma série de agressões de Manvailer contra a vítima.

Além do crime de feminicídio, também foram apresentadas como qualificadoras do homicídio: motivo fútil, morte mediante asfixia e uso de meio que dificultou a defesa da vítima. Além disso, Manvailer foi denunciado pela prática dos crimes de cárcere privado (por ter impedido a saída da esposa do apartamento) e fraude processual (por ter removido o corpo da vítima do local da queda e limpeza do sangue deixado no elevador).

Consta da denúncia oferecida, que durante as agressões, o acusado "produziu lesões compatíveis com esganadura (…) praticando tal delito mediante asfixia". O Ministério Público pediu a manutenção da prisão de Manvailer, detido desde o dia 22 de julho, quando foi detido pela Polícia de São Miguel do Iguaçu, após se acidentar com o carro da vítima na direção de Foz do Iguaçu.