Campo Mourão

Não falta mais nada. Agora clonaram o WhatsApp

(Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Não bastasse toda a criatividade desenvolvida por estelionatários no país, agora inicia-se o golpe através do WhatsApp. Em Campo Mourão já existem vítimas. Sim, na última semana uma família inteira - a pedido não divulgaremos os nomes - recebeu mensagens de bandidos se passando por um tio. E o golpe foi bem sucedido. Pensando se tratar do parente um sobrinho depositou R$ 1,5 mil. 

Tudo começa com a clonagem de números do aplicativo. Depois disso, o estelionatário faz uma investigação própria a partir dos amigos e parentes com número interligados ao celular da vítima. Em seguida inicia-se a sacanagem. Os falsários começam a enviar mensagens aos parentes e amigos. Pedem transferência de dinheiro em situação urgente. Inventam estórias capazes de concretizar o golpe. E muitas vezes conseguem êxito.

Em Campo Mourão, na última semana, um sobrinho recebeu a mensagem que seu tio pedia R$ 1,5 mil emprestados. "Pago amanhã. Estou com um pedreiro aqui em casa. Tenho que dar o dinheiro hoje pra ele e não posso ir ao banco. Transfere direto para ele", disse. A mensagem chega até com a foto do tio e o número do seu celular ao lado. Na hora o sobrinho nem pestanejou e fez a transferência. O suposto tio mandou até a foto do cartão do pedreiro, com nome de Claudionor Lemes Quintal. O tio mora em Cuiabá. A vítima é de Campo Mourão. E a agência do estelionatário é de São Paulo capital. Em tempo: não se pode afirmar que o dono do cartão é o estelionatário. Pode ser um laranja ou uma pessoa de boa fé que teve o cartão roubado ou clonado. 

Logo após efetuar a transferência o sobrinho ligou para o tio. Queria saber se era ele mesmo. Mas isso ele deveria ter feito antes da transferência. Era tarde demais. O golpe foi feito com sucesso. Depois disso a vítima correu até sua agência e pediu o bloqueio da conta creditada. Em seguida foi à delegacia de Polícia Civil e prestou queixa. De acordo com a polícia, a população deve checar os pedidos que assim chegarem no celular. 

Pelo menos outras três pessoas da família também receberam mensagens do mesmo tio pedindo dinheiro. Mas elas já haviam sido avisadas do golpe e não caíram. Pior aconteceu dias depois. O filho do tio clonado teve agora, o seu número copiado. Vendo a situação ele conseguiu reaver o número.   

Dados indicam que pelo menos cinco mil pessoas de todo o Brasil já foram afetadas pelo golpe. Dois principais motivos colaboram com os falsários. O primeiro porque torna-se dificil que alguém desconfie, uma vez que as mensagens vem com a foto e o próprio número do familiar. Para piorar, hoje, as transferências acontecem na hora, feitas do celular.