Campo Mourão

Novo Fórum de Justiça de Campo Mourão deve ficar pronto em 3 anos, prevê juiz

O juiz de direito Rui Cruz, previu nessa quarta-feira (17), durante visita ao município do presidente do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR), desembargador Adalberto Jorge Xisto Pereira, que o novo Fórum de Justiça da Comarca de Campo Mourão deverá ficar pronto em até 3 anos.

O investimento será de cerca de R$ 30 milhões. A nova estrutura será edificada no Residencial Parque do Lago, em uma área de 10,5 mil metros quadrados, acima do parque municipal Joaquim Teodoro de Oliveira, na saída para a comunidade Barreiro das Frutas. Segundo o magistrado, até novembro deste ano o projeto da construção já deverá estar delineado para o início da obra o mais breve possível.

“É uma obra grande, são 10,5 mil metros quadrados, se calcularmos a R$ 2 mil o metro quadrado, o Tribunal vai investir em torno de R$ 50 milhões. É o Tribunal de Justiça olhando para Campo Mourão do jeito que a cidade merece”, falou Cruz. Segundo ele, o investimento vai melhorar o atendimento ao público que terá uma estrutura mais ampla e moderna. Profissionais que atuam no local também serão beneficiados.

“É um investimento do poder judiciário para atender toda a população de Campo Mourão e região que faz parte da comarca. Os moradores merecem esta nova estrutura”, ressaltou, ao comentar que o atual fórum já não supre mais a atual demanda. “Nosso fórum atende bem o pessoal, mas uma estrutura mais moderna vai tornar o atendimento ainda melhor”, ressaltou.

O juiz comentou que o novo fórum vai ter sala de estar, de testemunha, entre outras estruturas. “A sua localização também é estratégica uma vez que a cidade tende a progredir para aquele lado”, observou. Cruz informou que durante uma reunião realizada ontem no gabinete do prefeito de Campo Mourão, Tauillo Tezelli, a administração colocou à disposição o departamento de planejamento do município que irá trabalhar em conjunto com o departamento de planejamento do Tribunal de Justiça para acelerar o início da obra.

Cruz avaliou que para o município a construção do novo fórum está sendo um ‘ótimo negócio’. “A prefeitura doou um terreno de uma área institucionalizada e vai pegar em troca um prédio central bem localizado. Está sendo um investimento extraordinário”, falou, ao comentar que o prédio onde funciona a estrutura atual do Fórum de Justiça pertence ao Estado e que o presidente do TJ informou ao prefeito que será cedido ao município.

40 anos

A construção do Novo Fórum em Campo Mourão é uma reivindicação antiga. Mas apenas em 2017 o Tribunal de Justiça do Paraná deu sinal verde ao município para a obra. Técnicos do TJ já vieram por várias vezes à cidade verificar os terrenos indicados pela prefeitura para a obra, escolhendo uma área de 10,5 mil metros quadrados no Residencial Parque do Lago. O investimento será de mais de R$ 30 milhões.

Em recente entrevista à TRIBUNA, o diretor do Fórum de Campo Mourão, juiz Edson Jacobuci Rueda Junior, informou que o Fórum da Comarca foi construído há mais de 40 anos e atualmente não suporta a demanda. Outra necessidade é que com o término da construção do presídio no município, a cidade deverá ter, por exemplo, a instalação da Vara de Execução Penal, mas com a estrutura atual do Fórum isso pode ser prejudicado devido a falta de espaço físico. Há também um pleito da Comarca para instalação de uma Vara da Fazenda Pública, o que esbarra nas condições físicas da atual estrutura.

O prefeito de Campo Mourão, Tauillo Tezelli destacou a importância da construção do novo fórum. Segundo ele, entre as principais vantagens com o investimento estão espaço mais adequado para atender melhor a população; preparação do município para receber as novas varas que virão - Execuções Penais e Fazenda Pública-; e a possibilidade de o prédio do Fórum ser cedida ao município para instalação das secretarias municipais, gerando economia aos cofres da prefeitura.

Para se ter ideia, de acordo com Tezelli, o município poderia economizar mais de R$ 1,5 milhão por ano com aluguel, transferindo as secretarias municipais para a sede do Fórum atual. “Isso sem falar que o município vai receber também mais profissionais como juízes, promotores, entre outros”, observou. “Hoje a construção de um novo Fórum para o município é uma questão de necessidade. Nosso Fórum já foi construído há mais de 40 anos e não tem mais condições de atender o jurisdicionado, além de falta de espaço, enfrenta também problemas estruturais”, argumentou.