Esportes

Palmeiras bate o Mirassol por 2 a 0 fora e chega à sexta vitória no Paulistão

São seis vitórias consecutivas no ano para o goleiro Jailson e a série de 500 dias sem perder.
A equipe do técnico Roger Machado conseguiu ficar mais um jogo fora de casa sem sofrer gol e continua como a melhor do Paulistão até aqui (Foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação)

O Palmeiras precisou de eficiência e poder de decisão para bater o Mirassol por 2 a 0 neste sábado, no estádio José Maria de Campos Maia, em Mirassol (SP). Um gol de Borja quando o time estava no sufoco na partida e outro de Dudu, já no final, garantiram a manutenção dos 100% de aproveitamento no Campeonato Paulista e duas marcas especiais. São seis vitórias consecutivas no ano para o goleiro Jailson e a série de 500 dias sem perder.

O jogo não teve atuação brilhante. Ainda assim, o Palmeiras se prevaleceu pela superioridade técnica e a grande capacidade de decisão dos jogadores. A equipe do técnico Roger Machado conseguiu ficar mais um jogo fora de casa sem sofrer gol e continua como a melhor do Paulistão até aqui.

O calor em Mirassol deixou o jogo lento no início e pareceu atrapalhar o Palmeiras. O time não tinha movimentação, penava em sair para o jogo e viu a invencibilidade ser ameaçada. Quem foi decisivo para fazer o time reagir foi Lucas Lima. O meia se desdobrou para ajudar a marcação e apareceu no ataque para ser decisivo.

O primeiro gol palmeirense foi um exemplo deste comportamento. Pouco antes de dar o passe para Borja abrir o placar, aos 23 minutos, Lucas Lima foi fundamental na defesa ao salvar em cima da linha uma finalização do Mirassol que abriria o placar. As participações decisivas do meia transformaram a partida. Se antes o domínio era da equipe da casa, foi a vez de o Palmeiras ter mais controle.

A partida chamou a atenção na etapa inicial não por lances bonitos, mas por aspectos individuais interessantes. Além da intensa participação de Lucas Lima, Borja teve conduta semelhante, principalmente ao ajudar na marcação e se movimentar bastante, como pediu intensamente o técnico Roger Machado.

O colombiano manteve a postura participativa no segundo tempo, quando marcaria um gol de cabeça não fosse a defesa tirar de cima de linha. Apesar disso, o jogo permaneceu indefinido por muito tempo. O Palmeiras tinha o controle, mas como não definia o placar, corria o risco de sofrer o empate. Mesmo após mexer duas vezes, a equipe continuou lenta em campo e pouco produziu.

A partida já estava no final quando a defesa do Mirassol falhou e Borja saiu livre diante do goleiro. O zagueiro Jesiel fez pênalti. Dudu pegou a bola para deslocar Fernando Leal e fazer 2 a 0, aos 40 minutos, e dar a tranquilidade esperada em uma partida de poucas emoções.

FICHA TÉCNICA

MIRASSOL 0 x 2 PALMEIRAS

MIRASSOL - Fernando Leal; Danilo Boza, Jesiel, Edson Silva e Marlon Freitas; Paulinho, Wellington Reis, Léo Baiano (Zé Roberto) e Rodolfo (Xuxa); Gilsinho (André Luís) e Douglas Baggio. Técnico: Moisés Egert.

PALMEIRAS - Jailson; Marcos Rocha, Antônio Carlos, Thiago Martins e Michel Bastos; Felipe Melo; Tchê Tchê (Thiago Santos), Lucas Lima, Willian (Keno) e Dudu; Borja. Técnico: Roger Machado

ÁRBITRO - Luiz Flávio de Oliveira (Fifa).

GOLS - Borja, aos 23 minutos do primeiro tempo; Dudu (pênalti), aos 40 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Douglas Baggio, Paulinho, Jesiel e André Luís (Mirassol); Antônio Carlos e Felipe Melo (Palmeiras).

RENDA - R$ 667.048,00.

PÚBLICO - 11.967 pagantes.

LOCAL - Estádio José Maria de Campos Maia, em Mirassol (SP).