Região

Peabiru: município faz campanha de combate a formigas cortadeiras

A Emater de Peabiru em parceria com a prefeitura iniciaram uma campanha de combate a formigas cortadeiras. A ação já acontece em nível de Estado. A campanha foi lançada durante uma reunião técnica recentemente. Durante o encontro técnicos da Emater apresentaram ações e possíveis soluções para redução do problema no município, que vem se agravando nos últimos anos em áreas agrícolas e urbanas.

O engenheiro agrônomo Jorge Maurino da Silva, técnico da Emater da cidade, comentou que a situação é preocupante tanto no meio rural quanto urbano. “Alguns produtores relaxaram com a falta de ações de controle. O grande problema hoje são em áreas de mata ciliar, locais de preservação permanente no qual a lei proíbe colocar inseticidas para o controle deste inseto que dissemina muito rapidamente”, afirmou Silva ontem, em entrevista à TRIBUNA.

De acordo com o agrônomo, outro grande problema é que o controle do inseto não é feito na área urbana. “Estão surgindo muitos formigueiros no centro urbano e a prefeitura não vinha até então fazendo o controle”, argumentou. Segundo ele, nesta época de inverno a formiga cortadeira é menos agressiva, porém no verão vem é totalmente destrutiva a culturas rurais, matas nativas, e plantações em geral. “Esta é a época dela se preparar para as revoadas, onde chegam entram cortando o que veem pela frente”, preocupou-se.

A orientação da Emater é que o produtor faça o controle efetivo da praga em conjunto com seus vizinhos de propriedade. “Formiga não respeita divisa nem cerca, tem que haver um controle em conjunto para ter eficácia no combate. O produtor deve também sempre utilizar iscas com inseticidas com registro na Adapar. Todo mundo tem procurar fazer sua parte”, pediu.

Segundo ele, está ocorrendo o avanço da formiga cortadeira tanto em áreas arenosas como mais argilosas. Este tipo de praga pode dizimar plantações inteiras. “Pode trazer grande prejuízo tanto na lavoura quanto no meio ambiente e matas nativas. Eucalipto, laranjeiras, entre outras espécies nativas estão entre seus cardápios favoritos”, ressaltou Silva.

Segundo ele, o encontro técnico para lançamento da campanha contou com a presença de cerca de 32 participantes, entre representantes dos poderes Executivo e Legislativo e secretários municipais. “Durante o evento foi discutido com os produtores a resolução que institui o Programa Estadual de Combate às Formigas Cortadeiras. O programa é desenvolvido sob a supervisão da Seab e executado pela própria Seab em parceria com a Emater PR e coparticipação dos municípios, Cooperativas Agrícolas, Associações, Sindicatos, ou quaisquer entidades direcionadas a produção agrícola, inclusive pessoas físicas”, falou o agrônomo.

Iscas formicidas

Silva citou as iscas formicidas para o combate da praga cadastrados junto a Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar). Entre elas estão: Blitz- Fipronil (Basf) formicida granulado; Dinagro S-Sulfluramida (Dinagro); grão verde Ag-Sulfluramida (Dipil); Mirex S-Sulfluramida (Atta-kill); Termonebulização Gemini-Permetrina (FMC); Líquido-SC; Klap-Fipronil (Basf); e Fumigante para solo: Bunema 330 CS-Metam Sódico (Taminco).