Região

Plantio da soja avança na Comcam, mas chuva irregular ainda atrapalha

Produtores seguem com o plantio, porém não estão apostando na regularidade das chuvas para a normalização dos trabalhos

O plantio de soja na região da Comcam avançou para cerca de 40% da área projetada na safra 2019/20, embora a irregularidade das chuvas ainda prejudique o andamento dos trabalhos. As chuvas que atingiram a região no fim de semana não chegou à boa parte dos municípios e os produtores continuam enfrentando problemas para o plantio.

De acordo com o Departamento de Economia Rural (Deral), núcleo de Campo Mourão, a chuva de domingo atingiu apenas uma faixa de municípios. Em Campo Mourão choveu 20 milímetros, enquanto em Luiziana, Barbosa Ferraz, Quinta do Sol, Engenheiro Beltrão, Fênix, Corumbataí do Sul, Iretama, e Roncador, a precipitação atingiu em média 18 mm.

Já nas regiões de Campina da Lagoa, Ubiratã, Goioerê, Rancho Alegre D’Oeste, e Quarto Centenário, a precipitação variou apenas entre 2 a 4 mm. “Fiquei surpreso, achei que a chuva tinha atingido a região como um todo”, falou o engenheiro agrônomo do Deral, Edilson Souza e Silva.

Segundo ele, os produtores rurais seguem com o plantio, porém não estão apostando na regularidade das chuvas para a normalização dos trabalhos. “Plantam um pouco e esperam mais chuva”, afirmou. Segundo ele, a chuva do fim de semana ainda não foi suficiente para compensar o déficit hídrico. “Não normalizou nada. Nos municípios onde choveu apenas dá mais um fôlego, porém, não resolve o problema”, falou.

De acordo com o Deral, em condições climáticas normais, a região já era para estar com 65% a 70% da área de soja plantada. “Muita gente inclusive arriscou plantar no seco e esperou chover”, falou. Silva observou que nos municípios onde choveu até 20 mm o solo teve boa infiltração da água. “Não escorreu, tudo que choveu infiltrou molhando bem, mas infelizmente teve regiões que não choveu praticamente nada”, ressaltou.

Segundo informações, na região de Goioerê, alguns produtores terão que refazer o plantio de algumas áreas, já que a cultura não teve boa geminação e em alguns casos não germinou devido a falta de chuva. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), as chuvas devem seguir irregulares no mês de outubro em grande parte das regiões produtoras de soja e milho, prejudicando e atrasando o plantio da safra de verão em muitas áreas. “O Sul do Brasil deve seguir com bom volume de chuvas no Rio Grande do Sul e Santa Catarina, além do sul, leste e a parte central do Paraná. A exceção é o norte do Paraná”, avaliou o chefe do Centro de Análise e Previsão do Inmet, Francisco de Assis Diniz.

Produção

De acordo com estimativa do Deral a produção de soja safra 2019/20 terá um crescimento de 26,3% ante 2018 na Comcam. Conforme os dados, a região deverá colher neste ano 2,4 milhões de toneladas da oleaginosa contra 1,9 milhão no ano passado. A área com a cultura também teve um leve aumento neste ano: 683,5 mil hectares contra 680 mil hectares em 2018, o equivalente a 0,5%. Já a área com milho não deverá chegar a 7 mil hectares.

Já o Paraná, tradicionalmente o segundo produtor de soja do Brasil após o Mato Grosso, deverá elevar a produção da oleaginosa em 22% na safra 2019/20. A produção estimada é de 19,772 milhões de toneladas, ante 16,2 milhões na temporada anterior, quando as lavouras foram afetadas pelo tempo seco e o Estado perdeu a segunda posição no ranking de produtores para o Rio Grande do Sul.

O aumento expressivo da produção deve ocorrer pela recuperação das produtividades, dependendo das condições climáticas, já que a área plantada com soja vai crescer apenas 1%, para 5,473 milhões de hectares. Já o plantio de milho verão cairá 6% ante a safra anterior, para 335,8 mil hectares, perdendo espaço para a soja. Com o recuo na área, a produção de milho verão do Paraná foi projetada em 3,1 milhões de toneladas, queda de 1%.