Campo Mourão

Prazo para reformas no cemitério de Campo Mourão encerra dia 22

Pintura de túmulos é permitida até o dia 31 deste mês.
Proprietários de lotes devem ficar atentos ao prazo (Foto: Arquivo)

Com o fim do prazo se aproximando para reformas no cemitério municipal São Judas Tadeu, em Campo Mourão, para o Dia de Finados, pessoas que têm parentes sepultados no local e pretendem realizar obras de melhorias nos túmulos ou jazigos devem ficar alertas para a data limite. As reformas no podem ser feitas até o próximo dia 22, conforme publicado no órgão oficial do município.

Até esta data, podem ser realizadas construções e reformas, desde que previamente solicitadas na administração do cemitério. Já a pintura de túmulos, ornamentação e limpeza em geral é permitida até 31 de outubro. No dia Finados (2 de novembro), é proibido qualquer espécie de serviço no interior do cemitério.

A administradora do Cemitério, Janete Iori, comenta que nas últimas semanas a movimentação de pessoas no local para reformas tem sido grande. “Diminuiu agora com a chuva, que atrapalha os trabalhos, mas acredito que o tempo voltando a ficar firme a movimentação continua”, diz.

Janete orienta que as pessoas procurem adiantar o serviço e não deixem os trabalhos para última hora por conta do risco de chuvas na semana que antecede o prazo. “Se deixar para fazer em cima do prazo pode não dar tempo", adverte. “Por isso o município já definiu os prazos bem antes para que o pessoal tenha tempo de fazer as melhorias”, ressaltou.

A administradora lembra que os responsáveis pelas obras têm a obrigação de recolher os entulhos e restos de materiais ao fim dos trabalhos. Ao solicitar autorização para a obra o titular do lote já é orientado sobre isso. Se houver um grande volume de entulhos e necessitar de caçamba, cada um tem que locar a sua.

Nos casos em que a regra não é obedecida, o titular do lote é notificado para fazer o recolhimento. “Pode acontecer de o pedreiro deixar os entulhos e a família só ficar sabendo quando ligamos avisando da situação”, comentou Janete. Ela reforça o pedido para que não sejam colocados vasos ou flores que acumulem água nos túmulos e também que as embalagens de plástico sejam retiradas das flores. “Materiais que acumulam água podem servir de proliferação para dengue”, alertou.

A administradora comentou que a movimentação no cemitério este ano deverá ser maior que o ano anterior devido ao aumento do número de novos sepultamentos no local o que aumenta a visitação. Após o Dia de Finados, o setor de epidemiologia deverá realizar também um trabalho de inspeção no cemitério para localizar possíveis objetos que sirvam de criadouros para o mosquito transmissor da dengue.