Campo Mourão

PRE alerta sobre tráfego de máquinas agrícolas em rodovias

Com a colheita da soja e do milho a todo vapor na região, torna-se comum o tráfego de máquinas agrícolas nas rodovias. Mesmo sendo considerada uma prática perigosa alguns agricultores arriscam, o que pode terminar em sérios acidentes. O perigo é considerado maior nas rodovias estaduais, já que vários trechos não têm acostamento na região.

Entre os trechos mais comuns do tráfego de máquinas agrícolas na rodovia, está o da PR-082 entre Engenheiro Beltrão e Quinta do Sol. E na maioria dos casos, os produtores trafegam sem os requisitos recomendados pela polícia rodoviária para estes casos, como batedores.

A Polícia Rodoviária Estadual (PRE) alerta que as fiscalizações estão sendo feitas. Produtores flagrados cometendo a prática podem arcar com multas gravíssimas. De acordo com o tenente Rafael Cruz, da 4ª Companhia da Polícia Rodoviária Estadual (PRE) de Maringá, que responde pela região de Campo Mourão, uma das principais preocupações tem sido com o trânsito de colheitadeiras. Além de as máquinas invadirem as pistas contrárias devido ao grande porte, trafegam em velocidades bem abaixo do limite permitido da via. “Os produtores rurais devem evitar este tipo de condução. Quem for flagrado está sujeito a punições previstas em lei”, alertou Cruz.

falou que máquinas agrícolas flagradas na rodovia sem documentação poderão ser apreendidas. “Todas as máquinas novas possuem documentos. As mais antigas têm de ser registradas em cartório”, informou, ao lembrar que o condutor precisa ter habilitação na categoria “C” para transitar em rodovias com implementos agrícolas.

No caso de colheitadeiras, o transporte correto, conforme Cruz, é a utilização de caminhão prancha para deslocar o maquinário. Já em pequenos deslocamentos, de uma propriedade a outra, a máquina deve trafegar sem a plataforma e com batedores na frente e atrás para alertar os motoristas. “O transporte oferece risco, mas como você vai exigir do pequeno produtor que ele tenha uma prancha para pequenos deslocamentos. Para isso existe todo um critério”, ressaltou.

A orientação da PRE é para que os produtores não façam trajeto em rodovias que não possuem acostamento, e mesmo em rodovias com acostamento que o trajeto seja curto. No caso de colheitadeiras, é recomendado o transporte sem a plataforma e com batedores na frente e atrás.