Região

Prefeito volta cobrar DNIT reinstalação de radar em trevo

Desde que o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), retirou o radar no trevo da BR 272 (entrada de Janiópolis), no início deste ano, que lideranças da cidade têm cobrado a reinstalação do equipamento. A retirada foi motivada pelo vencimento do contrato com a empresa que detinha a concessão desde 2014.

Nesta quinta-feira (11), o prefeito Ismael Dezanoski e o presidente da Câmara, Elias Velozo estiveram novamente no escritório regional do DNIT para reforçar a cobrança. "Protocolamos mais um pedido para que seja instalado o mais rápido possível", informou o prefeito, ao acrescentar que também vai pedir apoio de deputados federais. Eles também pediram radar no trevo de acesso ao distrito de Bragápolis.

Logo que assumiu o mandato, este ano, o presidente da República, Jair Bolsonaro, anunciou que não iria autorizar instalação de radares nas rodovias federais. “Mas a informação que tivemos no DNIT é que este posicionamento está sendo revisto e instalação será autorizada em pontos mais críticos, como é o caso de Janiópolis”, disse o prefeito.

Ele ressalta que o local é perigoso e depois que o radar foi retirado já aconteceu um acidente com vítima. “É um trecho de declive acentuado em que principalmente caminhões desenvolvem alta velocidade, colocando em risco a vida dos usuários da rodovia e moradores de Janiópolis”, acrescentou.

Segundo ele o DNIT informou que será feita uma nova licitação, mas não estipulou prazo. Na cidade o local já ficou conhecido como “trevo da morte” devido a grande quantidade de acidentes com óbitos. Moradores chegaram a fazer protestos no local, fechando a rodovia para sensibilizar as autoridades.