Campo Mourão

Procurador nega irregularidades em licitação: “denúncia infundada”

O procurador geral de Campo Mourão, Robervani Pierin do Prado, negou nesta sexta-feira (19), a existência de irregularidades no processo licitatório para implantação da zona azul no município. Uma das empresas que participou do certame entrou com pedido de impugnação do processo no Tribunal de Contas do Paraná (TCE-PR), alegando direcionamento da licitação.

“O edital foi feito conforme determina a lei, dentro das necessidades da cidade e em conformidade com a seriedade que tudo está sendo feito nessa administração. Ilações, de maneira maldosa e irresponsável, são feitas por quem não conhece esse processo licitatório”, disse o procurador, através de nota encaminha pela assessoria da prefeitura à imprensa.

Prado classificou a denúncia como “infundada” e “sem cabimento” e disse que o município irá esclarecer “tranquilamente” junto ao Tribunal de Contas. Segundo ele, a denunciante formulou a denúncia anexando somente uma parte do edital que detalha as exigências técnicas. “Ficou evidente a desinformação ou a má-fé da denunciante”, ressaltou.

O advogado comentou ainda que pedirá a responsabilização “pelo abuso de direito que se identifica nesse caso, em particular, pela omissão de parte dos documentos, o que pode induzir a erro o Tribunal ao analisar o pedido”. A abertura dos envelopes com as propostas das empresas está marcada para esta segunda-feira (22), às 9 horas.