Região

Projeto vai levar Câmara de Vereadores para distritos de Mamborê

Para presidente, políticos precisam se aproximar mais da população.
Jairo Arruda, presidente da Câmara de Vereadores de Mamborê (Foto: Arquivo)

O presidente da Câmara de Vereadores de Mamborê, Jairo Arruda (PDT), quer fazer funcionar ainda neste ano o projeto “Câmara Itinerante”, que aproxima o poder legislativo da comunidade. Ele lembrou que Câmara da cidade elegeu na semana passada o parlamento jovem e que agora irá trabalhar para fazer o novo projeto sair do papel.

De acordo com Arruda, levar as sessões para os distritos vai aproximar os vereadores da população. “Iremos buscar sempre estar próximos da população. É importante ouvir alunos, diretores das escolas, empresários, donas-de-casa e moradores em geral. Será uma grande oportunidade para ouvir as pessoas mais de perto”, argumento o presidente.

Ele citou, por exemplo, que com o projeto, as sessões poderão ser realizadas em comunidades mais distantes, como no Guarani, Pensamento, Canjarana, entre outras comunidade rurais, onde a população não tem a oportunidade de participar das sessões, por morarem longe da sede do município.

De acordo com Arruda, com as sessões descentralizadas, a Câmara conseguirá levantar as prioridades para dar uma resposta à população. “Estas localidades costumam ser visitadas por todos na época de campanha eleitoral, mas após as eleições, a reclamação da população é que os políticos desaparecem. Queremos mudar essa visão”, disse o presidente.

Segundo ele, para as sessões serem realizadas na comunidade, o local precisa ter uma estrutura mínima, como um barracão e cadeiras aos vereadores e moradores. “Se for o caso até levaríamos uma parte dos nossos equipamentos. A ideia é no final de cada sessão, a gente abrir a tribuna livre para o pessoal apresentar suas reivindicações para poder dar encaminhamento”, observou.

Além, de aproximar o legislativo da comunidade, Arruda frisou que os vereadores também passariam a conhecer mais as dificuldades da comunidade com as sessões itinerantes. Segundo ele, a intenção é focar em duas a três principais reivindicações e tentar atender os moradores. “Sempre tive o desejo de implantar este projeto, agora com a oportunidade de presidir o Legislativo vamos trabalhar para isso. A classe politica está por baixo e precisa correr atrás do prejuízo. Só falta o aval dos demais vereadores para iniciarmos o projeto, mas a pré-conversa é positiva”, acrescentou.