Região

Região registra primeira morte por dengue e casos sobem para 908

A dengue continua preocupando na região. Mesmo com o frio os casos não param de aumentar. Para piorar ainda mais a situação, uma pessoa morreu em decorrência da doença na Comcam. Trata-se de uma mulher de 72 anos, da cidade de Ubiratã. A morte foi em 30 de maio e o exame confirmou a doença somente agora. O vírus é transmitido pelo Aedes aegypti, mosquito transmissor também da febre amarela, chikungunya, e zika vírus. A região está em alerta contra a doença.

Até o momento, de acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) foram registrados 908 casos na Comcam, sendo 892 autóctones e 16 importados. As notificações somam 3.510. Na última semana, os casos de dengue eram 822 e 3.335 notificações, ou seja, houve um aumento de 86 novos casos.

Aumentou também de 6 para 7 o número de cidades com epidemia, sendo Campo Mourão, com 324 casos, Terra Boa (52); Peabiru (120); Quinta do Sol (37); Moreira Sales (147); Rancho Alegre D´Oeste (35); e agora Corumbataí do Sul (18). A epidemia é confirmada depois que a cidade aponta, proporcionalmente, mais de 300 casos por 100 mil habitantes.

As cidades com casos de dengue, ordem por maiores números, são Campo Mourão (324); Moreira Sales (147); Peabiru (120); Terra Boa (52); Goioerê (40); Quinta do Sol (37); Engenheiro Beltrão (32); Ubiratã (32); Rancho Alegre do Oeste (35); Corumbataí do Sul (18); Campina da Lagoa (14); Fênix (10); Araruna (9); Boa Esperança (9); Iretama (7); Nova Cantu (6); Farol (5); Mamborê (4); Luiziana (2); Roncador (2); Barbosa Ferraz (1); Janiópolis (1); e Quarto Centenário (1). Apenas os municípios de Altamira do Paraná e Juranda não têm casos da doença até o momento.

A região tem também um total de 8 notificações de Chikungunya sendo em Campo Mourão (1); Goioerê (3); Iretama (1); Juranda (1); Roncador (1); e Ubiratã (1). Ainda não há confirmação da doença. A 11ª Regional de Saúde de Campo Mourão alerta que a situação é grave e que com os índices elevados de infestação é necessário fazer uma busca minuciosa em todos os terrenos e quintais.

Além de eliminar os criadouros que se formam em recipientes mais visíveis com água parada, como pratos de vasos de plantas, ralos descobertos e pneus velhos, é preciso ter atenção com locais menos visíveis como telhados, antenas de TV, calhas, troncos ocos de árvores e caixas de água.

Paraná

De acordo com o boletim epidemiológico publicado pela Sesa na terça-feira (16), o Paraná totaliza 20.496 casos de dengue e 22 mortes. As 22 Regionais de Saúde do Estado apresentam notificações para a dengue e orientam a Vigilância dos municípios no monitoramento dos casos e medidas preventivas e de combate. São 90 municípios em epidemia e 58 em estado de alerta.

Além da dengue, o boletim também apresenta nesta semana um novo caso de chikungunya no Paraná. Foi em Sarandi, na região Noroeste. São 22 casos confirmados e 636 notificados. O período de monitoramento deste informativo da dengue, chigungunya e zika vírus no Estado começou em 29 de julho de 2018. Esta é a 42ª semana de acompanhamento. Sobre o zika vírus, o boletim mostra cinco casos confirmados e 310 notificados.

Sintomas

Os sintomas iniciais das doenças são febre, de início abrupto, acompanhada de dor de cabeça, dores no corpo e nas articulações, fraqueza e dor atrás dos olhos. Na dengue predominam a dor muscular e a febre alta; na chikungunya, predominam as dores nas articulações e também febre alta,e no zika vírus, a febre é baixa, com vermelhidão, coceira e erupções cutâneas com prurido.