Campo Mourão

Regional encerra campanha de recolhimento de medicamentos vencidos

A 11ª Regional da Saúde de Campo Mourão encerrou neste mês a campanha de logística reversa de medicamentos domiciliares vencidos ou em desuso. A ação teve início em agosto com quatro pontos de coleta no município. Apesar de a quantidade do material recolhido ainda não ter sido divulgada oficialmente, o que será feito pela Secretaria Estadual da Saúde somente a partir de novembro, a farmacêutica da Regional da Saúde, Leticia da Silva França, faz um balanço positivo da campanha.

“Ainda não temos uma quantidade detalhada dos medicamentos recolhidos, mas pelo volume houve um bom descarte. A campanha foi extremamente positiva apesar do curto período (60 dias)”, avaliou Letícia. A reportagem da TRIBUNA entrou em contado com a Secretaria Estadual de Saúde e foi informada que os números da campanha serão divulgados por regionais somente após a segunda quinzena de novembro. Letícia informou que possivelmente a campanha deverá ser realizada novamente no próximo ano, mas ainda não há uma data definida.

Os pontos de coleta foram instalados em Campo Mourão na farmácia especial da Regional da Saúde; farmácia especial da secretaria de Saúde, farmácia da Unidade Básica de Saúde (UBS) do jardim Alvorada; e farmácia da UBS do jardim Cohapar. Durante dois meses os locais ficaram disponíveis à população para levar medicamentos vencidos ou em desuso para o descarte. Os pontos foram definidos estrategicamente pela campanha.

Letícia lembrou que medicamentos não podem ser descartados em pias, vasos sanitários, ou lixo comum. O descarte em locais inadequados oferece riscos ambientais. Além disso, medicamentos mal acomodados em casa oferecem riscos principalmente às crianças, que podem até confundir o remédio com doces e consumindo indevidamente.

Durante a campanha, três caminhões da empresa responsável pela coleta fizeram o recolhimento dos medicamentos em dias estratégicos nos pontos de descarte instalados na cidade. Letícia alertou que a automedicação e o uso irracional de medicamentos podem causar a intoxicação do paciente e até mesmo a morte. Além disso, há ainda o descarte inadequado de medicamentos, como nos vasos sanitários, lixo comum, pia, esgoto, queima a céu aberto, o que gera um grande passivo ambiental. “O uso racional de medicamentos e o descarte adequado dos mesmos é fundamental para a manutenção do meio ambiente, saúde humana e animal”, falou.

Por conterem em sua formulação substâncias químicas, biológicas ou hormonais, remédios possuem grande poder contaminante. Quando o material acaba em um aterro sanitário, se associa ao chorume do lixo comum e pode chegar ao terreno subterrâneo, contaminando o lençol freático. Se o medicamento vai para o esgoto, pode chegar diretamente ao meio ambiente, poluindo rios, lagos e solo ou, então, acabar em uma estação de tratamento, que nem sempre consegue eliminar totalmente a substância da água. A queima a céu aberto é outra forma de descarte inadequado com graves consequências ambientais.

A campanha

Em todo o Paraná foram disponibilizados 250 pontos de coleta de medicamentos vencidos ou fora de uso, sendo 209 em farmácias privadas e 41 em farmácias públicas em 92 municípios do Paraná. O balanço da campanha será divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde na segunda quinzena de novembro.

De acordo com a Lei Estadual 17.211/2012 e o Decreto 9.213/2013, a responsabilidade sobre a destinação adequada dos medicamentos domiciliares em desuso é compartilhada entre todos os envolvidos na cadeia de medicamentos. Os estabelecimentos que comercializam ou distribuem são responsáveis pelo recebimento da população e armazenamento até o recolhimento para destinação final. Já os fabricantes, importadoras e revendedoras respondem pela coleta, transporte e destinação ambientalmente adequada.

No Paraná, diversas farmácias já operam de acordo com os protocolos de logística reversa, mantendo em suas lojas pontos para captação de medicamentos vencidos. Desde 2015, um termo de compromisso assinado entre o Sindicato das Indústrias Químicas e Farmacêuticas (Sinqfar) e a Secretaria de Estado de Meio Ambiente possibilitou a implantação em caráter permanente de 26 pontos de coleta de medicamentos em desuso em todo o Estado.

Recomendações

* Siga o tratamento pelo tempo recomendado;

* Sempre verifique a data de validade;

* Não use medicamentos vencidos;

* Tome os medicamentos no horário correto, na dose recomendada e no período de uso determinado;

* Informe um profissional de saúde caso apareça qualquer sintoma inesperado;

* Não descarte medicamentos no vaso sanitário, lixo comum ou esgoto;

* Procure sempre ponto de coleta para o descarte adequado.