Campo Mourão

Réplica da imagem de N. Sra de Guadalupe é acolhida no Santuário em Campo Mourão

Uma réplica do manto de Nossa Senhora de Guadalupe, padroeira do México e da América Latina, foi acolhida no Santuário Nossa Senhora Aparecida, em Campo Mourão, na noite desta segunda-feira (15). A réplica do maior símbolo da devoção mariana no México foi trazida para a diocese pela historiadora e missionária mexicana Maria Henriqueta, que na visita ao Brasil também entregou uma réplica ao padre Reginaldo Manzoti, no Santuário de Guadalupe, em Curitiba. 

A acolhida à réplica foi feita durante celebração da missa, presidida pelo padre Ricardo Arica. O coordenador da Rota da Fé, Ruben Moyano, também participou como intérprete da missionária, que explicou sobre a história da aparição da Virgem Maria a um índio  asteca em 1531. Na língua asteca, o nome Guadalupe significa Perfeitíssima Virgem. Como os astecas adoravam uma deusa a quem eram oferecidas vidas humanas, Nossa Senhora de Guadalupe teria vindo para acabar com essa idolatria e mudar a vida daquele povo.

O maior mistério da aparição em Guadalupe é o manto do índio, que para converter o bispo da cidade a santa teria pedido ao índio que enchesse de flores. Ao abrir na frente do bispo, as flores caíram no chão e no manto ficou estampada a imagem de Nossa Senhora de Guadalupe, na figura de uma imperatriz asteca. Estudos realizados no manto comprovaram que a imagem não está no tecido, mas suspensa a  2 milímetros, como que flutuando. O manto original está no Santuário de Guadalupe, na Cidade do México e o dia consagrado à santa é 12 de dezembro.