Paraná

Richa autoriza duplicações de rodovias e novos viadutos

(Foto: Jaelson Lucas/ANPr)

O governador Beto Richa assinou nesta terça-feira (03), no Palácio Iguaçu, em Curitiba, as ordens de serviço para um conjunto de obras rodoviárias que somam R$ 234 milhões. Os projetos incluem a duplicação da Rodovia dos Minérios (PR-092), na Região Metropolitana de Curitiba; a revitalização da Avenida Bento Rocha e a construção de um viaduto na BR-277, em Paranaguá; a duplicação do trecho urbano da PR-466, em Guarapuava. Também foi autorizada a licitação para construção de um viaduto em Foz do Iguaçu.

O conjunto de obras também abrange a duplicação da PR-445 entre Londrina e Irerê, que será liberada nesta quarta-feira (04), em Londrina. “Trabalhamos há anos por essas obras, que são importante para a infraestrutura do Estado e aguardadas pela população. Hoje elas são uma realidade e estão asseguradas”, disse Richa. “São grandes investimentos, que contribuem vigorosamente com o desenvolvimento do Paraná e o bem-estar dos paranaenses”, afirmou.

Richa destacou a duplicação da Rodovia dos Minérios, ligando a capital a Almirante Tamandaré e Itaperuçu, que é aguardada há décadas. Segundo ele, esta obra se soma à duplicação da Rodovia João Leopoldo Jacomel (entre a capital, Pinhais e Piraquara), a modernização da Estrada do Cerne, em Campo Magro, entre outros investimentos na região.

Além de mais segurança à população, os investimentos em infraestrutura, enfatizou o governador, formam uma das bases da política de desenvolvimento econômico do Paraná. “A infraestrutura é essencial para a atração de investimentos produtivos, que geram empregos e movimentam a economia. Além de rodovias, investimos no Porto de Paranaguá, em energia e saneamento”, disse ele.

Descontos

Segundo o secretário da Infraestrutura e Logística, José Richa Filho, o desconto dado pelas empresas vencedoras das licitações resulta em uma economia de mais de R$ 80 milhões nestas obras. “O grande volume de obras no Estado, os recursos já assegurados e o pagamento em dia são um diferencial”, disse ele.

“As empresas têm dado bons descontos porque a realidade o País é muito difícil, há poucas obras. O Paraná, que concentra as grandes obras, se beneficia com a concorrência, o que permite que façamos mais obras com os recursos disponíveis”, explicou.

Rodovia dos minérios

A duplicação e ampliação da capacidade de tráfego da Rodovia dos Minérios era aguardada há mais de 30 anos pela população. A obra custará R$ 83,6 milhões (desconto de 26,6% em relação ao teto da licitação, de R$ 114 milhões).

Serão duplicados de 4,7 quilômetros, entre a ponte sobre o rio Barigui, no Contorno Norte de Curitiba, e o perímetro urbano de Almirante Tamandaré. O trecho terá passarela, dois viadutos duplos e cinco novas pontes duplas. A previsão é que ela esteja pronta em dois anos.

Além de minimizar o risco de acidentes, a duplicação vai facilitar o escoamento da produção local, como minérios, cimento, laranja e outros hortifrutigranjeiros, beneficiando diretamente os municípios de Curitiba, Almirante Tamandaré, Itaperuçu e Rio Branco do Sul.

De acordo com o prefeito de Almirante Tamandaré, Gerson Colodel, cerca de 250 mil moradores serão beneficiados. “Além do tráfego dos moradores da região, o transporte de cargas, principalmente de minérios, é muito intenso. Esta duplicação é de fundamental importância, inclusive para diminuir o número de acidentes”, disse.

A modernização faz parte de um convênio assinado pelo Governo do Estado com o Banco do Brasil, que prevê obras também em outro trecho de 1,6 quilômetro da Rodovia dos Minérios, no perímetro urbano de Almirante Tamandaré – investimento estimado de R$ 64 milhões. Este segundo projeto está sendo finalizado para o lançamento do edital de licitação, que deve acontecer no segundo semestre de 2018.

Paranaguá

Em Paranaguá, no Litoral do Estado, serão duas obras executadas com recursos da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa). A revitalização da Avenida Bento Rocha inclui a recuperação do pavimento de concreto, readequação do sistema de drenagem, reconstrução de ciclovia e nova sinalização vertical e horizontal.

Serão em 2,9 quilômetros de revitalização, entre a ponte do rio Emboguaçu até a interseção com a avenida Portuária. O teto da licitação era R$ 20,2 milhões, mas a empresa vencedora ofereceu R$ 15,9 milhões, desconto de 21,1%.

Outra obra é a construção de um viaduto na entrada do município, na interseção da BR-277 com a Avenida Ayrton Senna. A estrutura terá 900 metros de extensão, seis metros de altura e 7,6 de largura. O investimento será de R$ 12,7 milhões, 19,2% menos do previsto inicialmente.

O prefeito de Paranaguá, Marcelo Roque, destacou que as obras vão desafogar o tráfego de caminhões que circulam no município. “O porto bate recordes todos os anos de movimentação de carga, mas a entrada da cidade é a mesma de 75 anos atrás. É o maior gargalo hoje do nosso município, porque o número de caminhões aumenta a cada ano”, disse.

Guarapuava

A duplicação de 3,4 quilômetros da PR-466 vai desafogar o trânsito do trecho urbano mais populoso de Guarapuava, que liga os bairros do Xarquinho e Primavera. A obra vai facilitar o acesso ao futuro Hospital Regional do Centro-Oeste, a maior edificação civil em andamento no Paraná, e deve ficar pronta em 18 meses.

O projeto, financiado pelo Governo do Estado junto Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), prevê a construção de uma trincheira, melhorias nos acessos aos bairros, iluminação, ampliação das vias laterais, construção de passarelas, muro de contenção e calçadas. Os custos das obras será de R$ 26,9 milhões.

Foz do Iguaçu

O governador Beto Richa também autorizou a licitação para o viaduto Lyrio Bertoli, que será construído na BR-277 com a Avenida Costa e Silva, em Foz do Iguaçu, no Oeste do Estado. O projeto foi doado pelo Fundo Iguaçu e ajustado por técnicos do Departamento de Estradas de Rodagem (DER-PR). O orçamento da licitação é de R$ 20 milhões e o edital deve ser lançado ainda neste semestre.

Presenças

Participaram da solenidade a vice-governadora Cida Borghetti; o secretário da Justiça, Trabalho e Direitos Humanos, Artagão Junior; o presidente da Agepar, Omar Akel; os presidentes da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina, Lourenço Fregonese; e da Federação da Agricultura do Paraná, Ágide Meneguette; o diretor da Comec, Caco Almeida; os coordenadores das regiões de Maringá, João Carvalho; e de Foz do Iguaçu, Felipe Mansur; os deputados estaduais Luiz Cláudio Romanelli; Bernardo Carli, Claudia Pereira, Stephanes Junior, Cristina Silvestri, Rubens Recalcatti, Hussein Bakri, Jonas Guimarães e Alexandre Curi.