Esportes

Seleção masculina de vôlei arrasa Equador em estreia no Campeonato Sul-Americano

A seleção brasileira masculina de vôlei estreou com uma vitória arrasadora no Campeonato Sul-Americano, em jogo encerrado no fim da noite desta terça-feira, em Temuco, no Chile. Atuando diante do frágil Equador, o time nacional ganhou por 3 sets a 0, com parciais de 25/10, 25/16 e 25/14, no ginásio olímpico da Universidade de La Frontera.

Diante de um rival sem nenhuma tradição no cenário da modalidade, o técnico Renan Dal Zotto optou por testar uma formação jovem do Brasil, que foi escalado com o levantador Fernando Cachopa, o oposto Alan, os centrais Matheus e Cledenilson, os ponteiros Douglas e Victor Cardoso e o líbero Thales. Também entraram em quadra o levantador Carísio, o oposto Felipe Roque e o ponteiro Hugo ao longo do duelo.

"Foi uma boa estreia. Conseguimos colocar a garotada para jogar e a coisa mais importante é que, mesmo com a fragilidade do time do Equador, jogamos concentrados o tempo todo e foi muito bom ver essa seriedade de todo o grupo. Ter dado essa oportunidade para atletas tão jovens foi realmente importante", disse Renan ao analisar o desempenho da sua equipe nesta estreia.

Depois de superar os equatorianos, a seleção brasileira voltará a jogar pela competição nesta quarta-feira, às 21 horas (de Brasília), contra a Colômbia. O duelo valerá pela segunda rodada do Grupo A, no qual o time nacional fechará a sua campanha na quinta, às 15h, contra a Argentina.

Franco favorito ao título do Campeonato Sul-Americano, o Brasil defende a tradição de país que ganhou todas quase todas as edições da competição realizadas até hoje. Ostenta 31 títulos do torneio e só não faturou a edição de 1964, a única em que não esteve presente.

Há dois anos, a seleção foi campeã sul-americana pela última vez. E apenas três jogadores que estavam naquele grupo do torneio de 2017 foram convocados por Renan para o evento de 2019: o ponteiro Douglas, o central Isac e o líbero Thales.

O Brasil usa este Sul-Americano como preparação para a Copa do Mundo, último compromisso da sua temporada, entre os dias 30 de setembro a 15 de outubro, no Japão.