Região

Servidores de Peabiru farão greve geral nesta sexta contra reforma da Previdência

Atendendo convocação de centrais sindicais de todo o País, servidores públicos municipais de diversas categorias de Peabiru farão uma greve geral nesta sexta-feira (14). O movimento foi decidido durante assembleia do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais, nessa terça-feira (11). O objetivo é protestar contra o projeto do governo de reforma da Previdência.

A presidente do Sindicato dos Servidores do município, professora Valdirene Mantovani, comentou que todos os setores municipais farão a paralização das atividades, com exceção dos serviços essenciais, como saúde, por exemplo. “A paralisação será o dia todo, não havendo atividades nos órgão públicos municipais”, ressaltou.

Com faixas e cartazes, os servidores farão uma mobilização na praça central da cidade das 10 às 11 horas. “Pedimos à população que nos entenda, porque não estamos representando só os servidores, mas todos os trabalhadores”, falou Valdirene.

Ela disse que os pais de alunos estão sendo avisados da paralisação para não mandarem os filhos à escola. “Esperamos que, se possível, a população em geral também participe do manifesto”, falou a presidente do sindicato. Apesar de necessária, a professora entende que a reforma da Previdência vai prejudicar os trabalhadores, principalmente os rurais e da área da educação e saúde, que irão perder a aposentadoria especial com a nova proposta. “A intenção é chamar a atenção da população e sensibilizar a sociedade que esta reforma não pode acontecer”, ressaltou.

Também fazem parte das reivindicações temas como maior geração de empregos formais, retomada do crescimento da economia e contingenciamento na Educação. Segundo os movimentos, a prioridade é que os trabalhadores “cruzem os braços” a partir da madrugada desta quinta-feira (13), para sexta-feira (14), com manifestações sendo utilizadas como complemento à paralisação.

Conforme Valdirene, a greve de sexta-feira é resposta a uma série de fatores que foram colocados pelo Governo Federal sem uma discussão prévia. "Nós queremos chamar a atenção dos governantes para abrir um canal de negociação, de diálogo", afirmou. Sobre a reforma da Previdência, ela afirmou que a União é favorável à mudança. "Mas não essas que estão sendo colocadas, como a capitalização e outros itens que não nos ouviram", disse.

Categorias que confirmaram greve no Paraná

* Bancários;

* SINJUTRA: Servidores Públicos Federais da Justiça do Trabalho;

* SINDTEST: Sindicato dos Trabalhadores em Educação das Instituições Federais de Ensino Superior no estado do Paraná;

* Educação Básica – escolas e colégios estaduais: APP-Sindicato;

* Saúde SindiSaúde-PR;

* Apra (polícia militar);

* Sindespol (escrivães);

* Sipol (investigadores);

* UPCB Bombeiros (bombeiros militares);

* Sindarspen (agentes penitenciários);

* Sindespol (polícia militar);

* Sinclapol (polícia Civil);

* Adepol (associação de delegados);

* Sinpoapar- Peritos;

*Assofepar, AVM e Amai (associações de militares);

*Estradas e Rodagem: Sinder;

* Detran: SinDetran;

* Servidores do Judiciário: Sindijus-PR (Judiciário);

* SindiMP-PR (Ministério Público).

Fonte: Comitê Unificado da Greve Geral no Paraná