Campo Mourão

Só 36,7% entregaram declaração do IR em Campo Mourão até o momento

A 18 dias do término do prazo, de 17.450 declarações do Imposto de Renda (IR) previstas para Campo Mourão, apenas 6.382 foram entregues à Receita Federal até ontem, o equivalente a 36,7% dos contribuintes. O balanço foi repassado à TRIBUNA pela Receita Federal do Brasil em Maringá, que responde pela regional Campo Mourão. O último prazo é 30 de abril.

Os números em Campo Mourão estão dentro da média estadual. De acordo com dados, de 1.970.000 paranaenses que devem prestar contas ao Leão, 781.728 haviam declarado o IR até ontem, o equivalente a 39% do total. “Com relação ao ano passado está dentro do mesmo patamar. Em torno de 50% são entregues na última semana e os números estão se aproximando disso”, comentou o Analista Tributário da Receita Federal do Brasil em Maringá, Marcos Luchiancenkol.

De acordo com Luchiancenkol as entregas deverão se intensificar na próxima semana. “Principalmente na última semana é feita a maior quantidade de entregas”, ressaltou. Em Campo Mourão, o número de declarações do Imposto de Renda em 2019 teve um aumento de 4% em relação a 2018, quando 16.744 mourãoenses fizeram a declaração. Aqueles que não fizerem a entrega dentro do prazo estão sujeitos à multa.

Luchiancenkol orienta que os contribuintes façam a declaração o quanto antes. “O interessante de fazer com antecedência é que muitas dúvidas só aparecem quando se está fazendo a declaração, neste sentido a pessoa tem tempo de buscar informação e esclarecer alguma dúvida se necessário”, disse. Ele informou que a Receita está preparada para receber todas as declarações.

Está obrigada a apresentar a declaração, a pessoa física que resida no Brasil e que, no ano-calendário de 2018 tenha recebido rendimentos tributáveis, sujeitos ao ajuste na declaração, cuja soma foi superior a R$ 28.559,70, ou tenha recebido rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma foi superior a R$ 40 mil.

Deve declarar ainda quem obteve, em qualquer mês, ganho de capital na alienação de bens ou direitos sujeito à incidência do imposto ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhada. Em casos de atividades rurais, deve declarar quem obteve receita bruta em valor superior a R$ 142.798,50 ou que pretenda compensar, no ano-calendário de 2018 ou posteriores, prejuízos de anos-calendário anteriores ou do próprio ano-calendário de 2018.

Para este ano, uma das novidades, conforme Luchiancenkol é que os dependentes, independente da idade, devem estar inscritos no CPF, mesmo que seja recém-nascido. Até ano passado, os dependentes inscritos no CPF eram pessoas com idade superior a 8 anos. “Agora todos devem estar inscritos”, ressaltou. Outra novidade é que para este ano a Receita está prometendo processar a declaração em até 24 horas. Ou seja, se o contribuinte entregar hoje, amanhã já acompanha o processamento, se caiu em malha, porque caiu, de modo que possa até apresentar uma declaração retificadora.

De acordo como analista, quem tem restituição para receber, quanto mais cedo enviar a declaração mais rapidamente receberá o valor. As restituições são liberados prioritariamente para idosos acima de 80 anos, contribuintes entre 60 e 79 anos, pessoas com alguma deficiência física ou mental ou doença grave e contribuintes cuja maior fonte de renda seja o magistério.

Restituição

As restituições do Imposto de Renda serão feitas em sete lotes, a partir de junho deste ano: o primeiro sairá no dia 17 de junho; o segundo em 15 de julho; o terceiro, no dia 15 de agosto; o quarto em 16 de setembro; o quinto, no dia 15 de outubro; o sexto em 18 de novembro; e o sétimo em 16 de dezembro.