Esportes

Três dias após cair no doping, Rafaela Silva perde luta no Grand Prix de Brasília

A judoca carioca Rafaela Silva perdeu para Ellen Santana, nesta segunda-feira, em luta disputada no Grand Prix de Brasília. A campeã olímpica sofreu um ippon com 18 segundos decorridos no golden score (tempo extra). Na sexta-feira, ela revelou ter sido flagrada em um exame antidoping, no dia 9 de agosto, para a substância fenoterol, que tem efeito broncodilatador e costuma ser usada em tratamento de doenças respiratórias, como a asma.

"Eu não fico batendo muito na tecla. O que tinha que falar, já falei. Agora vai para meus advogados. Eu estava focada. Queria ajudar minha equipe. Não pude marcar ponto, mas quis ajudar", disse a atleta do Grupo Reação, derrotado pelo Pinheiros na disputa por equipes do Grand Prix nesta segunda.

No domingo, Rafaela, campeã mundial e também do Jogos Pan-Americanos de Lima em sua categoria, havia vencido duas lutas. Primeiro diante de Agnes Motta, do Paineiras, por waza-ari no golden score; e outra contra Sarah Nascimento, do Minas, por acúmulo de punições.

Em entrevista coletiva realizada na última sexta-feira, no Rio, a atleta, de 27 anos, se defendeu ao dizer que a presença de fenoterol em seu teste de urina, substância capaz de melhorar o desempenho de um atleta, se deve à contaminação pelo contato com um bebê que toma medicação contra problemas respiratórios.

Vinte dias após o antidoping positivo, Rafaela se submeteu a outro exame idêntico, no Mundial de Judô, que não identificou a substância em seu organismo. Ela foi medalha de bronze no individual e nas equipes mistas.