Região

Vigilância Epidemiológica intensifica ações de combate à dengue em Araruna

A Vigilância Epidemiológica de Araruna vem intensificado as ações de combate ao Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, febre amarela, chicungunya e zika vírus. Além das vistorias às residências e campanhas de conscientização, agentes de endemias iniciaram um trabalho de eliminação dos criadouros naturais do mosquito em ocos de árvores com o plantio de flores.

De acordo com a chefe da Divisão de Vigilância Epidemiológica do município, Tatiane Ferreti da Silva, os trabalhos iniciaram pelo conjunto Araucária e serão expandidos em todo o restante da cidade. “Algumas árvores tem ocos que acumulam água e servem de criadouros de dengue. Com esta preocupação a equipe de endemias começou a tampar os buracos com terra e plantar flores”, falou.

De acordo com ela, este tipo de trabalho vem sendo feito somente aos sábados pelos agentes porque durante a semana são priorizadas as vistorias às residências. Tatiane explicou que o último levantamento rápido de infestação de larva divulgado pelo município apontou para vários focos nestes tipos de locais, por isso a ação está sendo desenvolvida pelo município.

Até o momento Araruna confirmou 3 casos de dengue importados. Na cidade, o índice de infestação de larvas é de 6,8%, enquanto o tolerável pela Organização Mundial da Saúde (OMS) é de 1%. A cidade enfrenta alto risco de epidemia de dengue.

“Todas as medidas vêm sendo tomadas pelo município constantemente, mas a população também precisa entender que a melhor forma de combate ao mosquito é a prevenção. Os moradores precisam redobrar os cuidados com seus quitais, eliminando locais que acumulam água, servindo de criadouros”, alertou Tatiane.

Segundo ela, a maior parte dos focos foi encontrada em residências, conforme apontou o Lira. O índice mais alto de infestação foi registrado na área central da cidade. “Geralmente o índice mais alto costuma aparecer em bairros, mas desta vez foi diferente em Araruna”, observou.