Sociedade e Desenvolvimento
Empreendedorismo como propósito

 Escolha um trabalho que você ama e você nunca terá que trabalhar na vida.

A frase proferida por Confúcio, por volta do ano 500 a.C., resume uma tendência cada vez mais forte entre aqueles que decidem empreender no Brasil – a de empreender como um propósito, uma opção de carreira.

Um novo Estudo de Tendências de Sustentabilidade para Pequenos Negócios, divulgado pelo  Centro Sebrae de Sustentabilidade demonstra que cada vez mais são criadas empresas por profissionais de diversas idades e áreas que se retiram do setor corporativo devido ao cansaço de negócios convencionais e desejo de trabalhar em ambientes menos hierárquicos e mais abertos a novas ideias.

Essas pessoas resolvem criar empresas e empreendimentos que correspondem às suas crenças e valores, segundo Ricardo Voltolini, coordenador técnico do Estudo. O objetivo delas é contribuir com soluções para os desafios da insustentabilidade da sociedade e do planeta, assim como para as questões socioambientais, sem visar apenas lucro. Nesse terreno, nascem os negócios de impacto social e ambiental.

Se há alguns anos quase metade dos novos empreendimentos no Brasil era derivada do chamado empreendedorismo por necessidade, hoje o perfil tem mudado bastante, e empreender é cada vez mais uma opção de vida.

Uma nova geração de empreendedores busca realizar propósitos pessoais e contribuir com a solução de desafios da sociedade, criando seus próprios negócios com foco mais amplo do que somente o dinheiro.

São empreendimentos com visão além do lucro, que buscam contribuir de alguma maneira com o planeta e suas necessidades, e propiciar aos seus criadores melhor qualidade de vida, muitas vezes trocando salários e benefícios por flexibilidade, agilidade e realização.

Formados principalmente por jovens, esses novos negócios que estão chegando ao mercado são focados na insatisfação com as soluções atuais apresentadas, e buscam seu espaço utilizando-se de tecnologias para identificar os gaps do mercado e procurar solucioná-los com novos produtos e serviços.

Produtos exclusivos para veganos, livrarias para público evangélico, salões de beleza para pele e cabelos negros, roupas plus size e outras iniciativas ligadas à segmentação de mercado representam oportunidades de negócios para os empreendedores atentos.

Tecnologias para reciclagem, produtos verdes, novas formas de distribuição, internet das coisas, agrosmart, biotecnologia, nanotecnologia, robótica, enfim, uma infinidade de possibilidades que favorecem o início de novos negócios tem sido o grande estímulo a essa geração.

Importante ressaltar que o poder público deve estar atento às novas tendências, e aproveitar as oportunidades de aproximar o setor produtivo, as universidades, incubadoras, e empresários para o surgimento de novos negócios. Pois, assim como a diversidade de negócios e oportunidades, são diferentes também as demandas destes empreendedores.

___

Carlos Alberto Facco - Secretário de Desenvolvimento Econômico de Campo Mourão | [email protected]