Sociedade e Desenvolvimento
Meu amigo Pedro

Promova o respeito e verás teus valores respeitados.

Escrevi um texto para a Revista da Acicam há algum tempo e achei interessante relembrá-lo.

O tema central é Valores. Valores são princípios morais ou éticos que consideramos bons e importantes. É aquilo que faz sentido para nós. Muitas pessoas passam boa parte da vida sem parar para pensar em quais são seus valores mestres, aqueles inegociáveis. São esses valores governam nossas decisões, e é nos momentos de decisão que nosso destino é traçado. Então, quando você define claramente seus valores, pode decidir com muito mais clareza o quer para sua vida, ou sua empresa. Fica muito claro porque você admira certas coisas e abomina outras.

Raul Seixas, considerado um dos pioneiros do rock brasileiro, falecido em 1989, tem uma música muito interessante, chamada Meu Amigo Pedro, feita em parceria com Paulo Coelho, onde trata com um amigo sobre os valores e a visão de mundo dos dois, que eram bem distintos.

Na música, Raul fala do amigo Pedro, que é um burocrata frustrado, que chora no banheiro, usa sempre o mesmo terno, se queixa da solidão e não sabe se o seu trabalho é bom ou ruim.

Por outro lado, Pedro rotula Raul de vagabundo e louco, e tenta ensiná-lo que a vida é dura, e que ele deve arrumar um emprego.

Sob a ótica de valores, não podemos julgar nem um nem outro. Simplesmente porque o que importa para cada um deles são coisas diferentes.

Enquanto Pedro valoriza a segurança, a seriedade, o trabalho formal como algo dignificante, Raul quer viver da arte e da música, sem compromisso.

A questão começa a esquentar quando um tenta convencer o outro a mudar, argumentando que os seus valores é que são os melhores, mais corretos do ponto de vista da aceitação social – que, aliás, é também um valor de muita gente.

Isso tem muito a ver com alguns conflitos que vivemos hoje! Pois, sem uma coerência de valores entre as pessoas, não se constrói um projeto comum.

Numa empresa, por exemplo, se o líder não deixa claro os valores da Organização, dificilmente conseguirá alcançar resultados positivos no longo prazo. Percebe-se que, nutrindo bons valores, será possível obter o engajamento de seus funcionários e chegar a resultados muito melhores.

Conheço empresas que definem seus valores e os colocam em um quadro na parede. Muito mais do que isso, é preciso praticar esses valores por meio das atitudes diárias. Talvez os valores sejam a parte da Identidade Organizacional que mais tenha efeito na gestão das pessoas. Se as ações diárias não são coerentes com o quadro na parede, a confiança é quebrada e os efeitos são nefastos.

Isso vale também para qualquer projeto coletivo, porque quando as pessoas conhecem seus valores e sabem respeitar os valores dos outros, torna-se muito mais fácil a negociação e a convivência entre as partes.

E antes de reclamar que as pessoas não estão engajadas em projetos, empresas ou entidades, lembre-se: As pessoas não deixam as organizações; elas simplesmente abandonam líderes cujos valores conflitam com os seus.

___

Carlos Alberto Facco - Secretário de Desenvolvimento Econômico de Campo Mourão | [email protected]