Coluna ADI Paraná
Recorde

Foz do Iguaçu fechou o primeiro semestre com novo recorde de visitação. Entre janeiro e junho deste ano, as Cataratas do Iguaçu receberam 908.097 visitantes - crescimento de 6,4% em relação ao ano passado. “O segundo semestre será ainda melhor e fecharemos 2019 com novo recorde de visitação. Temos mais de 550 voos extras confirmados para julho e agosto. Setembro, outubro e novembro será de alta temporada de eventos. Temos um movimento crescente de turistas dos países andinos e dos países que agora passaram a ter isenção do visto de entrada no Brasil, como EUA, Canadá, Austrália e Japão”, disse o secretário de Turismo, Gilmar Piolla.

Saldo positivo

O saldo positivo na geração de empregos em maio só foi possível por causa do desempenho das micro e pequenas empresas. O setor foi responsável pela criação de 38 mil postos de trabalho, enquanto as médias e grandes registraram saldo negativo, demitindo 7,2 mil trabalhadores, conforme dados do Sebrae com base nos números do Caged. No total, maio fechou com saldo positivo de 32,1 mil empregos.

Pequena empresas

"Nas crises, perder gente na micro e pequena empresa é pior do que na média e, sobretudo, na grande empresa. Então, os pequenos negócios têm essa característica, eles contratam quando precisam e praticamente não dispensam. Até porque uma dispensa numa grande empresa é só mais uma, mas numa pequena empresa a demissão gera um desfalque", afirma Carlos Melles, presidente nacional do Sebrae.

Salário mínimo

O salário mínimo no Paraguai passou para R$ 1.350 - R$ 352 maior do que o mínimo brasileiro. A CUT paraguaia diz que o aumento é insuficiente e reivindicou, sem êxito, um salário de 3 milhões de guaranis (R$ 1.846,00). A ministra do Trabalho, Carla Bacigalupo, admitiu que o mínimo vigente cobre apenas 49% da cesta básica familiar.

Campo Largo

O projeto “Iluminando Campo Largo com Eficiência” é finalista do Prêmio Sesi que divulga práticas para o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. O projeto desenvolvido pela Cocel melhorou a iluminação pública da cidade, substituindo luminárias tradicionais por modelos led, o que resultou em economia no consumo de energia e contribuiu para a valorização dos espaços públicos e segurança, além de estimular ações voltadas à eficiência energética.

"Afronta e vergonha"

O deputado Romanelli (PSB) classificou como "afronta e vergonha" a volta da cobrança de pedágio com aumento de até 25,77% nas rodovias exploradas pelas concessionárias Caminhos do Paraná e Viapar. “O aumento das tarifas penaliza a economia do Paraná e beneficia as empresas que participaram de um complexo esquema, investigado pela operação Lava Jato, movido por tarifas abusivas, aditivos ilegais, propinas, superfaturamento de obras e serviços e a falta de execução de obras previstas em contrato”.

No plenário

Estados e municípios devem ficar mesmo fora do relatório da reforma da Previdência do deputado Samuel Moreira (PSDB-SP) e a decisão deve ficar com o plenário da Câmara dos Deputados. "Não havendo entendimento de estados e municípios, vai para o Plenário e tentamos construir um entendimento até a próxima semana", disse o deputado Augusto Coutinho (SD-PE), após a reunião do colégio de líderes.

Procuradora da Alep

A deputada Cristina Silvestri (PPS) foi escolhida como a nova Procuradora da Mulher da Assembleia Legislativa. “Para mim será um desafio, mas, ao mesmo tempo, é uma honra assumir esse posto, afinal, precisamos fortalecer as políticas públicas na defesa das mulheres para sairmos dessa posição de 5º país com maior número em violência contra a mulher”, afirmou.

Saúde é prioridade

A saúde deve ser a principal prioridade do presidente Jair Bolsonaro para 25,7% dos brasileiros, conforme levantamento do Instituto Paraná Pesquisas. Em seguida, como prioridades, vem a geração de empregos (23,2%), segurança (17,4%), educação (15,6%), combate à corrupção (7%) e economia (4,6%). O instituto entrevistou 2.102 eleitores em 158 cidades dos 26 estados mais o Distrito Federal entre os dias 20 e 25 de junho.

Escola Sem Partido

O presidente da Assembleia Legislativa, Ademar Traiano (PSDB), afirmou que o projeto “Escola Sem Partido” não será votado antes do recesso de julho. O projeto - apresentado em 2016 - entrou na pauta de votação, mas foi retirado por dez sessões. Traiano afirma que o novo adiamento foi acordado com os autores do projeto que vão conversar com o ministro Abraham Weintraub (Educação), em Brasília, sobre o posicionamento do governo federal ao tema.

___

Da Redação ADI-PR Curitiba

Coluna publicada simultaneamente em 20 jornais e portais associados. Saiba mais em www.adipr.com.br