Sociedade e Desenvolvimento
Semana histórica

É impossível progredir sem mudança, e aqueles que não mudam suas mentes não podem mudar nada.

George Bernard Shaw

Na última semana tivemos dois fatos de grande relevância para o Desenvolvimento Econômico de Campo Mourão, principalmente se pensarmos no significado deles a longo prazo.

Primeiro, a mudança da data de comemoração do aniversário da Cidade. Aparentemente, isso soa muito pouco, pois nem sequer foi extinto o Feriado, mas apenas reposicionado. Ou seja, nem um dia útil a mais. Mas eu valorizo mais as nuances do processo. Para começar, a administração permitiu uma discussão na sociedade, ao enviar o processo para o Legislativo. Depois, houve um debate amplo, com audiência pública, pesquisa de opinião, reuniões. Por último, o Legislativo mostrou maturidade em uma decisão mais técnica e menos populista. Independentemente do objeto – no caso a mudança do Feriado – o processo foi muito bom. E a união dos empresários em prol de uma causa foi bastante animadora. Me deu a esperança de que continuem essa união para outros desafios maiores que precisam enfrentar.

Segundo, e bem mais simbólico, a criação do Conselho de Desenvolvimento Econômico – Codecam. Já escrevi sobre sua importância em outras oportunidades. Não é um movimento totalmente inédito. Já tivemos iniciativas parecidas com criação do Fórum de Desenvolvimento, por exemplo. Antes, já houve outro Conselho, e outro fórum. Nenhum duradouro. Porque devemos acreditam no Codecam?

1) Tem um foco muito claro: diferente do Fórum de Desenvolvimento, que teve a intenção de trabalhar em 5 eixos de Desenvolvimento, o Codecam nasce com o foco econômico. Embora existam Câmaras Técnicas de Saúde, Educação e Cultura, a discussão será em torno da influência desses temas no Desenvolvimento Econômico da Cidade e vice-versa.

2) Terá uma estrutura administrativa e operacional: por mais desejo e envolvimento no processo que haja, é muito difícil produzir projetos e administrar seu andamento baseado apenas em algumas horas de voluntariado. Além da importantíssima participação das lideranças voluntárias, uma equipe técnica para operacionalizar as ações certamente não deixará a roda parar.

3) Projetos: derivada a anterior, o Codecam deverá trabalhar em projetos específicos, focados e com mensuração de resultados. Aliás, esta última já foi objeto de muitas discussões quando da elaboração de PPA, quando o Conselho contribuiu na elaboração de indicadores de desenvolvimento para o município.

4) Ancorada em Lei: é natural em movimentos dessa dimensão, que tem atuação além de mandatos políticos, que as relações com o Poder Público passem por altos e baixos. Sendo criado por uma Lei, torna-se mais difícil a sua extinção ou não-participação nas decisões de políticas públicas.

Mas será que isso será suficiente? Eu já disse em várias reuniões que, além e mais importante que tudo isso será o comprometimento e a participação dos envolvidos. Dentro de alguns dias, as entidades indicarão os nomes para compor o Conselho. Se estas pessoas não tiverem um forte sentimento de engajamento, desapego, visão de longo prazo e paciência para trabalhar em grupo, o Codecam se reduzirá a um Conselho burocrático, existente para cumprir a Lei, sem a voz ativa e empoderada que merece.